Morgan Stanley: procura por iGadgets está maior do que o esperado nos Estados Unidos

Logo da Morgan Stanley

Se depender de uma pesquisa realizada pela firma Morgan Stanley e comentada pela analista Katy Huberty, a Apple continuará “vendendo iGadgets pelos cotovelos”. Isso porque, de acordo com os dados do estudo, a gigante de Cupertino poderá comercializar até 36 milhões(!) de iPhones no quarto trimestre de 2011, contra os 28-30 milhões inicialmente previstos por Wall Street.

Pesquisa - Morgan Stanley

Segundo a pesquisa, a intenção de compra — tanto de iPhones quanto de iPads — continua muito forte, indicando que o primeiro trimestre de 2012 também será ótimo para a Maçã. Inicialmente, segundo a Morgan Stanley, estavam previstas vendas de 28 milhões de iPhones para o Q1 2012. Mas, de acordo com o estudo, a Apple poderá vender até 41 milhões — número incrivelmente alto, na minha opinião: como explicar um primeiro trimestre assim, no qual as vendas ultrapassariam o período de Natal? Para termos uma ideia, a variação deste número se comparado à estimativa de analistas é de 46%! Enfim, estou curioso para ver se isso, de fato, se concretizará.

Para o ano de 2012, a firma esperava vendas de 134 milhões de iPhones e 52 milhões de iPads. Mais uma vez, não foi isso o que a pesquisa demonstrou, pois ela sugere vendas na casa dos 190 milhões para o smartphone (42% a mais) e 81 milhões para a tablet da Maçã (56% a mais). Cerca de 30% dos usuários de celulares pretendem comprar um iPhone — o número cai para 16% quando são avaliados somente donos de iPhones.

Conjecturando um iPad mais barato — a partir de US$400, e não US$500, como hoje (talvez com a introdução de um novo modelo, mantendo a atual linha por um preço mais atraente) —, o estudo indica que a Apple poderá ganhar 22 milhões de novos compradores. Pelo visto, no que depender da Morgan Stanley, a Apple vai ainda bem mais longe…

[via AppleInsider]

Posts relacionados

Comentários