Mais da metade do dinheiro da Apple está fora dos Estados Unidos

Gráfico - Dinheiro da Apple

Gráfico - Dinheiro da AppleDiferentemente de 15 anos atrás, quando estava praticamente fechando às portas, hoje a Apple conta com um caixa de mais de US$80 bilhões, muito provavelmente o maior (ou um dos maiores) do mundo disponível para uma empresa fazer o que bem entender. Alguns especialistas ficaram preocupados com a pilha de dinheiro da Maçã e sugeriram dezenas de soluções para acabar com ele: aquisições e pagamento de dividendos são os prediletos [1, 2, 34]. O fato é que são tantas verdinhas que dá para a empresa sobreviver *sem receitas* até meados de 2018!

Só tem um problema, nisso tudo: a maior parte desse montante não está nos Estados Unidos — mais precisamente, US$54 bilhões estão em terras estrangeiras. Se a empresa resolver levar este dinheiro para casa, terá que pagar 35% em impostos (o mesmo que US$18,9 bilhões). Levando em conta que os investimentos estrangeiros estão cada vez maiores e que a firma de Cupertino está crescendo cada vez mais mundo afora — Inglaterra, França, Alemanha, Japão e China são alguns exemplos —, este cenário não deverá mudar a curto/médio prazo.

Esse foi um dos motivos para a Maçã ter investido US$1,35 milhão em lobbying na primeira metade de 2011, a fim de conseguir reduzir as taxas para algo na casa dos 5-9% diante dos atuais 35%, ou, quem sabe, até conquistar a criação de um feriado de impostos.

[via TUAW]

Posts relacionados

Comentários