Apple oferece recompensa para uma vítima do bug do iMessage

Ícone - iMessage

Já falamos bastante do atual problema que afeta usuários do serviço iMessage, da Apple. Em um dos casos, aconteceu justamente com um empregado da Maçã — ele usou seu próprio cartão Micro-SIM para reparar o iPhone de uma cliente. Com isso, o serviço de mensagens foi “clonado” para o aparelho em questão.

Publicidade

Uma representante da Apple entrou na jogada e disse que não se trata de bug — o empregado que não procedeu corretamente, já que usou um chip pessoal na ocasião. De acordo com a Maçã, basta desligar/ligar o serviço no “aparelho clonado” que tudo é resolvido — veja um vídeo replicando o “bug-que-não-é-bug”.

iMessage rodando em iPhones 4S

Independentemente disso, o problema existe e é praticamente impossível de ser resolvido quando o cenário envolve furto ou roubo, já que não é mais possível acessar o dispositivo. E foi exatamente isso que aconteceu com uma usuária, de acordo com o The Next Web. A vítima, uma mulher que coincidentemente já trabalhou com TI, na área de privacidade, teve seu iPhone roubado no dia 13 de novembro. Logo após o roubo, ela bem rápido apagou remotamente o conteúdo do iPhone através do Buscar Meu iPhone, posteriormente cancelando seu Micro-SIM. Só que algumas amigas continuaram mandando mensagens pra ela e, estranhamente, elas continuavam chegando (marcadas com a etiquela delivery).

Publicidade

Foi aí que a vítima entrou em contato com a Apple, para resolver o problema de uma vez por todas. As tentativas envolveram desde resetar a senha do ID da Apple até passar em uma loja, inserir um novo Micro-SIM registrado com o mesmo número em outro iGadget, a fim de reestabelecer a ligação e controlar o fluxo de mensagens — tudo sem sucesso. Somente em 27 de dezembro (24 dias depois), a Maçã conseguiu cortar o vínculo entre o iMessage e o aparelho roubado, fruto de um trabalho de engenheiros da empresa.

Apesar do bom atendimento recebido durante todo o processo, a vítima sentiu-se lesada e quis algum tipo de compensação. Ela acabou conversando com a equipe jurídica da empresa, que ofereceu um iPod touch(?) como recompensa. A cliente não ficou feliz, e, mesmo não tendo uma política que cubra esse tipo de coisa, a Apple afirmou que teria que fornecer, no mínimo, um iGadget com capacidade de enviar e receber iMessages — que fosse pelo menos um iPhone, na minha opinião.

Depois dessa, eu gostaria de ver uma declaração de Natalie Harrison, reafirmando que não existe bug no serviço. 😛

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…