Opinião de leitor: a revolução do improvável — iTV

HDTV da Apple (iTV, Apple TV)

por Dhyan Shanasa

Já foi dito noutro lugar e, apesar de muitos contestarem, a Apple segue firme na liderança inventiva e inovadora do que chamamos de progresso tecnológico. Não que outras pessoas de grande capacidade não façam sua merecida parte, mas convenhamos, muito do que as pessoas desejam nestes aspectos têm, por definição, uma maçã a tira colo.

Podem pôr à prova o que dizemos, simplesmente questionando qualquer sujeito interessado num computador e, antes que digam que há generalização no que afirmamos, perguntem-se a si mesmos qual tablet teriam. Contudo, o que está por vir pode ser a revolução da revolução, pois transformar a tão aclamada televisão em algo interessante será, de fato, um grande feito.

HDTV da Apple (iTV, Apple TV)

Que nos perdoem os adoradores da TV e suas variantes, mas há anos que esse dispositivo perdeu sua majestade, dando espaço a tantas outras formas de entretenimento que sua utilidade sumiu como areia num vendaval de inovações. Se sentarmos pacientemente de frente a uma TV tentando achar algo que não seja as horrendas novelas, os tediosos jornais e todo o tipo de patetice de filmes “Sessão da Tarde-like”, o que sobra? Certamente nada. Nada mesmo.

Mas então como revolucionar um aparelho que em sua premissa é inteligente, mas que é usado, em essência, com desleixo? Não são as pessoas que têm péssimo gosto por ver TV; é a TV, vestida de corporações autodenominadas “canais”, que geram o mau gosto da pessoas. E, como disse alguém: se por muito tempo possuirmos apenas um martelo como ferramenta, logo tudo parecerá com pregos. Logo…

Desde o lançamento do iPad (cujas críticas ferrenhas não impediram que os próprios críticos viessem a torná-lo soberano em sua área), a Apple vem criando um novo ecossistema integrando seus dispositivos de forma curiosa. Ainda está longe do ideal — esta integração —, mas ao menos existe uma. Neste caminho, desde o início do iPad, surgiu-nos o iPhone 4S, o iOS 5, o iCloud e tantos outros “i’s” que nós, que acompanhamos dia a dia as notícias do mundo da tecnologia, estamos carecas de saber. E todas essas iCoisas podem comunicar-se umas com as outras de certa forma, e quando o OS X Lion surgiu deu-nos outros parâmetros de integração com o sistema operacional dos Macs — o Mountain Lion levará tudo além, é claro.

E onde entra a iTV nessa bagunça? Em qual degrau ela seria encaixada?

Tim Cook diz que a Apple TV é um “hobby”, mas que “a Apple não faz hobbies como regra geral, pois nós sempre achamos que havia algo aí…” . Acredito que, se houver uma iTV num futuro próximo, ela seja a outra metade da Apple TV; e o iPad será o complemento, junto do iPhone, do iCloud e do Mac que você tem no escritório. Será como um aparelho só, fragmentado em vários pedaços distintos, mas que se completam, com funções e focos diferentes, mas que, ao fim e ao cabo, têm o mesmo intuito: tornar a forma como consumimos conteúdo, seja ele televisivo — como o concebemos hoje — ou digital, em uma experiência mais gratificante.

A iTV será, quem sabe, a última peça para montar o quebra-cabeça ainda manco da Apple, cujas peças, apesar de próximas, não se encaixam com perfeição; será, em outras palavras, a unificação de tudo que ela vem criando nestes últimos anos, tendo a impressão de que estamos usando apenas um aparelho, mesmo estando no iPad ou no Mac.

Em suma, a iTV pode ser muitas coisas, mas certamente não será um tiro no escuro. E, apesar de haver muitos céticos quanto a essa aposta — e muitos fanboys loucos para que seja isso ou aquilo —, a Apple novamente assustará o mundo da tecnologia, trazendo uma nova forma de se fazer o velho.

Uma revolução do improvável, senhores, esse será o triunfo da iTV.

Posts relacionados

Comentários