Grupos ligados ao meio ambiente também farão auditorias em fábricas parceiras da Apple

Reciclagem

Além de ter publicado uma série de relatórios atualizados sobre seus esforços em prol do meio ambiente, a Apple permitirá que grupos e organizações ligados ao assunto inspecionem suas parceiras a fim de avaliar se elas estão cumprindo as regras ambientais — algo bem parecido com a recente parceria entre ela e a Fair Labor Association.

De acordo com uma reportagem do USATODAY.com, Ma Jun, fundadora do Institute of Public & Environmental Affairs, disse que a Apple concordou com a medida ainda em janeiro, em resposta a dois relatórios liberados pela própria IPE (e por outros grupos ligados ao meio ambiente) que apontavam diversas falhas em possíveis fábricas de fornecedoras da Maçã.

Fábrica

As auditorias começariam em março, e seriam feitas em duas fornecedoras da Apple — com o tempo, o número de parceiras poderá aumentar. Para Jun, uma investigação independente se faz necessária para comprovar que tudo está sendo feito de forma transparente.

Linda Greer, da National Resources Defense Council é mais uma que confirmou a informação, dizendo que a Apple prometeu acesso a pelo menos duas fábricas — as investigações, obviamente, serão 100% focadas em problemas ambientais, como descarte inadequado de substâncias químicas.

Todos esperam que, além de permitir as auditorias, a Apple também torne tais relatórios públicos, fornecendo o nome das fornecedoras e estabelecendo um período para que possíveis falhas sejam corrigidas.

Das cerca de 24 empresas apontadas no relatório da IPE, a Apple confirmou que trabalha com 7 delas: Foxconn Technology, Meiko Electronics, Unimicron, Ibiden Electronics, Wintek, Nan Ya Printed Circuit Board e Compeq Manufacturing. Além de permitir as visitas, a firma de Cupertino usará o banco de dados de poluição do site da IPE (que contém mais de 95.000 violações ambientais de fornecedoras chinesas) para monitorar suas parceiras.

Segundo Jun, o tamanho da empresa a coloca em uma posição de liderença nos Estados Unidos. “Se a Apple não mudasse, poderia servir de mau exemplo para outras empresas.”

[via TNW]

Posts relacionados

Comentários