Escritores chineses revisam processo contra Apple e agora pedem o dobro do valor

Muerong Xuecun

No comecinho do ano, um um grupo de nove escritores famosos processou a Apple alegando que ela comercializa 37 livros sem a devida autorização. Os autores pretendiam receber US$1,88 milhão como forma de compensação, mas esse valor acaba de ser revisto, subindo para US$3,6 milhões. Não, não é só porque a Apple tem uma pilha de dinheiro de mais de 10 mil quilômetros de altura. Eles alegam que outros 26 livros estão sendo comercializados indevidamente pela Maçã em sua loja online.

Publicidade

Muerong Xuecun

Muerong Xuecun, um dos autores que estão processando a Apple.

Os escritores tentaram entrar em contato com a Apple para que tais livros fossem removidos — ação não acatada pela empresa, que ainda sugeriu aos autores que entrassem em contato com os responsáveis pela publicação do livro na loja. Todavia, segundo Bei Zhicheng, pessoa que está representando os autores, muitos deles não informam nenhum tipo de contato. O grupo estima ainda que já foram vendidos mais de 1 milhão de livros “piratas” na iBookstore chinesa.

Publicidade

Sinceramente, não entendo nada de assuntos jurídicos, mas não consigo enxergar a culpa da Apple nessa história. Casos parecidos já aconteceram com o Google, que vira e mexe toma um processo de alguém, alegando que um determinado conteúdo encontrado pelo buscador da empresa é ofensivo ou coisa parecida. Ao meu ver a Apple está certa, nessa: isso deve ser contestado com a pessoa que publicou o livro na loja, e não com a Apple, que apenas disponibilizou a plataforma. Enfim, a justiça está aí justamente para isso…

[via Macworld]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…