As mentiras por trás das histórias de Mike Daisey

Mike Daisey

No dia do aniversário de Steve Jobs, comentamos o monólogo de Mike Daisey, o qual passou a ser disponibilizado livre e gratuitamente. O texto então foi adaptado para rádio e foi ao ar pela This American Life. O que ninguém imaginava era que a obra de Daisey contém fatos inventados.

Mike Daisey

Mike Daisey

Uma recente investigação da This America Life — que incluiu a intérprete de Daisey, contratada quando ele visitou a cidade de Shenzhen (China) — descobriu que diversas informações foram fabricadas. Bote nesse bolo, todas as alegações que chamaram a atenção da mídia, como a história de ter se encontrado com empregados machucados pelo uso de n-hexane, ter visto menores de idade (13, 14 e 15 anos) trabalhando em fábricas de iProducts e conhecer trabalhadores que, de tanto fazer o mesmo movimento, estavam com as mãos destruídas.

Quando a This American Life pediu o contato da sua intérprete, Daisey mentiu. Ao encontrá-la, a verdadeira, descobriram o porquê da mentira, afinal, a histórias da viagem não passam de calúnia — lembrando que elas foram destaque em veículos importantes como MSNBC, CBS News, a própria This American Life, entre outros.

Cathy Lee

Cathy Lee

Rob Schmitz, do Marketplace, foi quem rastreou a tradutora, Cathy Lee. Ela negou as histórias de Daisey, dizendo que ele não encontrou com os empregados machucados, e que tudo não passou de uma mentira.

Depois dessa confusão toda, veio a resposta de Daisey — e admito, ela é a cereja do bolo. Ele disse que seu trabalho é teatral, e que o objetivo é criar uma conexão humana entre os nossos gadgets e as brutais circunstâncias em que eles emergem — tudo isso combinado fatos, memórias e “licença dramática”, a fim de contar uma história. Daisey afirmou ainda que não faz uso de jornalismo, e que as ferramentas deste são diferentes das usadas no teatro. Ele não se arrepende do “trabalho” que fez, já que chamou atenção a causa (condições de trabalho na China), e disse que seu único arrependimento foi ter autorizado a This American Life a exibir o programa — provavelmente pois foi ela que descobriu toda a farsa.

Como a veracidade dos fatos não pode ser comprovada, o NYTimes.com retirou o pedaço da declaração de Daisey de uma de suas matérias na qual o tema foi abordado — logo após a morte de Jobs, diga-se.

Nem preciso comentar o quão surreal foram as atitudes de Daisey. Será que nada acontece com uma pessoa que passa diversas informações fabricadas em vários veículos importantes do jornalismo americano, apenas para “chamar atenção para uma causa”? Pelo visto, para Daisey, os fins justificam os meios…

[via MacRumors, Daring Fireball: 1, 2, 3, 4, 5]

Posts relacionados

Comentários