Morgan Stanley: apesar de longos contratos entre operadoras e clientes, Apple continuará vendendo muitos iPhones

Logo da Morgan Stanley

Durante a última conferência de resultados financeiros da Apple, Tim Cook (CEO da empresa) mencinou rapidamente a situação da companhia na Espanha — por lá, as operadoras Vodafone e Telefónica falaram que não irão mais subsidiar o iPhone para clientes. Bastou isso para Wall Street pirar, achando que a ideia vai se alastrar e que a Apple não vai mais vender iPhones como antes.

A analista Katy Huberty, do Morgan Stanley, soltou uma nota para investidores “acalmando os ânimos”. Para ela, a situação na Espanha é local, pois o país está mal das pernas, e as receitas das operadoras estão caindo. Huberty acha que as telecoms americanas não farão o mesmo, até por questões contratuais. Além disso, os contratos não expiram no mesmo ano, então, a chance de um motim contra a Apple é ainda menor. 😛

Gráfico Morgan Stanley - Venda de iPhones

Huberty disse que as vendas do iPhone são robustas o suficiente para superar os longos ciclos de contrato entre as operadoras e consumidores, conforme podemos ver no gráfico acima. A AT&T, por exemplo, só aceita subsidiar novos iPhones para clientes que completaram 20 meses de contrato — antes, o período mínimo era de 18 meses; além disso, as multas para quebra de contrato (a fim de pegar um novo subsídio) praticamente não eram aplicadas; agora, estão ganhando força.

Pelas projeções do banco de investimento, a Apple poderá vender 165 milhões de iPhones em 2013, acomodando até mesmo contratos mais longos, de 24 meses. A aguardada chegada da T-Mobile (a quarta maior dos EUA) — que poderá acontecer no fim de 2012/começo de 2013, deve ajudar com vendas entre 3 e 5 milhões de unidades/ano. Para o atual trimestre, Huberty prevê vendas na casa dos 25-28 milhões — contra 30 milhões de Wall Street —, afirmando que uma queda sequencial de 15-20% é normal, afinal, os consumidores vão começar a esperar pelo novo iPhone.

[via AppleInsider]

Posts relacionados

Comentários