Grupo chinês diz que condições de trabalho em outras fornecedoras da Apple são piores que as encontradas na Foxconn

Tim Cook em visita à Foxconn

Segundo Li Qiang, diretor executivo da China Labor Watch, as condições de trabalho no país ainda estão longe das ideais. Nesta semana, através do relatório [PDF] “Beyond Foxconn: Deplorable Working Conditions Characterize Apple’s Entire Supply Chain” (“Além da Foxconn: Deploráveis Condições de Trabalho Caracterizam a Cadeia de Suprimentos da Apple”), Qiang criticou não só a Foxconn, mas outras fornecedoras da Maçã que, de acordo investigações, oferecem condições ainda piores.

As reclamações são praticamente as mesmas de sempre, englobando maltrato de empregados, excesso de trabalho (além do limite legal), baixos salários, condições precárias e perigosas à saúde, entre outras.

Tim Cook em visita à Foxconn

Tim Cook em visita recente à Foxconn.

Levando em conta que as auditorias da Apple são realizadas com um orçamento muito maior do que os das nossas investigações, estamos confiantes de que a Apple já está bem consciente dos problemas que nós mostramos neste relatório. A verdadeira questão é se ela está ou não disposta a tomar as medidas necessárias para as mudanças. Se a Apple der passos significativos que mostram que eles estão dispostos a trabalhar em projetos para melhorar as condições de fábricas, de compartilhar custos e responsabilidades com as fábricas, e de trabalhar com outras marcas para criar um padrão na indústria, seria mais útil do que a sua abordagem histórica de prometer mudanças até que a atenção se volte para outro lugar, sem obtenção de resultados.

Recentemente, o grupo SACOM (Student & Scholars Against Corporate Misbehaviour) também relatou más condições em instalações da Foxconn, dizendo que pouca coisa mudou por lá mesmo depois das promessas de Tim Cook (CEO da Apple) e Terry Gou (CEO da Foxconn) em trabalhar para melhorar a situação o quanto antes [1, 2].

[via Macworld]

Posts relacionados

Comentários