Confira as últimas notícias do julgamento entre Apple e Samsung

Logo da Samsung e do Google

Depois de um “recesso” na quinta-feira passada (9/8), o julgamento entre Apple e Samsung voltou com tudo na sexta-feira (10/8). Muita, mas muita coisa aconteceu, e nós separamos algumas diversas informações interessantes que você confere logo abaixo:

Publicidade

Google ajudando fabricantes de Android

Logo da Samsung e do Google

Segundo a CNET News, apesar de o Google ter se envolvido pouco na disputa entre as duas gigantes de tecnologia, a empresa não abandonou seus parceiros (que utilizam o Android). De acordo com o veículo, o Google está discretamente apoiando a Samsung, coordenando estratégias legais, dando conselhos, ajudando a obter provas, etc. Mesmo assim, a tendência é de distanciamento mesmo, pois a gigante de buscas quer evitar ao máximo um confronto direto com a Maçã.

Uma curiosidade: a firma de advocacia que está representando a Samsung no caso (Quinn Emanuel) também está ao lado de HTC e Motorola (duas fabricantes de Android) em outras disputas similares. Ou seja, o “time” está montado e coordenado.

Publicidade

Ressarcimentos

Já vimos que a Apple busca ressarcimentos entre US$$2,47 e US$2,87 bilhões [1, 2]. Mas como a pena para infrações de patentes de design é diretamente relacionada ao lucro do produto infrator — exatamente por isso que ambas tiveram que divulgar o número de vendas de seus gadgets —, novos documentos detalham exatamente quanto a Apple está pedindo por cada aparelho infrator da Samsung.

Segundo o The Verge, a firma de Cupertino quer US$1,3 bilhão pela variação da linha Galaxy S (US$325 milhões do Epic 4G, US$202 milhões do Captivate, etc.). Já as compensações solicitas pelo Galaxy II são de US$642 milhões.

Mais de um terço dos consumidores confundem produtos das empresas

A CNET News destacou que Kent Van Liere, um especialista em pesquisas, foi chamado para ser testemunha da Apple no julgamento. Van Liere disse que consumidores estão confundindo produtos das duas companhias. Um estudo comparando smartphones das empresas mostrou que 38% dos entrevistados associaram imagens do Galaxy Fascinate com desenhos originais da Apple, enquanto 37% fizeram confusão com o Galaxy SII Epic 4G.

Publicidade

Samsung Fascinate

Já no estudo de tablets, vídeos com versões do Galaxy Tab 10.1 (com e sem a marca da Samsung) foram apresentados para usuários. Enquanto 6% deles disseram que a versão com a marca poderia ser confundida com a Apple, 19% disseram o mesmo do modelo sem marca. Os advogados da Samsung rebateram, dizendo que o estudo não perguntou se os entrevistados compraram os dispositivos, não colocou os aparelhos nas mãos deles (para uma melhor análise) e não comparou outras tablets da concorrência, como por exemplo da LG ou da Motorola.

Licenciamento de patentes

O AllThingsD informou que, em 2010, quando viu pela primeira vez o Galaxy, Boris Teksler (diretor de licenciamento de patentes e estratégia da Apple) ficou chocado. O executivo disse não ter entendido como uma parceira tão próxima da Maçã copiou o iPhone daquela forma. Teksler então disse que Steve Jobs e Tim Cook (na época, COO da empresa) conversaram com a sul-coreana, deixando claro que ela estava copiando a Apple e que a empresa não estava feliz com isso — uma apresentação foi dada à Samsung mostrando exatamente em quais pontos a Apple acreditava que ela estava infringindo o iPhone.

Publicidade

Sobre o lincenciamento de patentes de design, o diretor disse que a Apple não tem intenção de licenciá-las. “É o que não queremos compartilhar e não queremos que os outros nos imitem”.

Porém, em 2010, levando em conta a relação das empresas, a Maçã chegou a oferecer um licenciamento, cobrando US$30 por smartphone e US$40 por tablet — valores estes que teriam um desconto de 20% caso a Samsung licenciasse suas tecnologias para a Apple. Como sabemos, a coisa não foi pra frente.

Quanto valem os recursos Apple-like copiados pela Samsung

A Apple “pediu” e John Hauser, professor de marketing do MIT (Massachusetts Institute of Technology), fez um estudo analisando quanto clientes da Samsung pagariam pelos recursos da Apple que estão em discussão na briga judicial. O número mágico, de acordo com Hauser, é de US$100.

Obviamente os advogados da Samsung retrucaram, dizendo que Hauser não explicou a metodologia utilizada no estudo. Os advogados também colocaram o professor contra a parede, perguntando quanto a Apple pagou para que ele realizasse o estudo — segundo o AllThingsD, US$800 por hora, o que deu um total de US$30-40 mil.

Inspirado numa tigela de água

Conforme apontamos anteriormente, o smartphone F700 é uma das armas da Samsung para o caso — a empresa afirma que o aparelho tem um design similar ao do iPhone, mas que foi projetado por ela em 2006, antes de o smartphone da Apple chegar ao mercado.

Segundo a CNET News, a Samsung queria que Hyoung Shin Park, designer sênior da empresa, testemunhasse explicando que a inspiração para o design do aparelho veio de uma tigela de água, e não com as patentes da Apple. Sei…

Tigela de água com uma maçã dentro

A tal da tigela tinha uma maçã dentro! 😛

Porém, de acordo com o FOSS Patents, a Apple conseguiu barrar tanto o testemunho de Park quanto de Dale Sohn, presidente da Samsung Telecomunicações da América. No primeiro caso, a juíza Lucy Koh alegou inconsistência do pedido da Samsung, pois Park não trabalhou com nenhum dos aparelhos que fazem parte da disputa. Já sobre Sohn, ele não estava listado como uma das quase 100 testemunhas da empresa — ela tentou colocá-lo depois, coisa que a juíza não permitiu.

Para completar, o The Verge disse, que a Apple mais uma vez atacou com tudo. O F700 não foi o tema do assunto, mas a Maçã apresentou novos documentos mostrando que a Samsung comparou o aparelho Behold 3 (Vibrant) com o iPhone para torná-lo melhor.

Na apresentação, a Samsung destaca o efeito elástico do iPhone (no Safari, ao rolar uma página até o limite) e a simplicidade para desbloquear o aparelho (“slide to unlock”), o que pode provar para o júri que o Android foi bastante baseado no iOS.

Encontro entre advogados

Florian Mueller, do FOSS, disse que a juíza Koh está cansada, muito cansada da discórdia entre advogados da Apple e da Samsung. O time jurídico da Apple disse, na sexta-feira, que está fazendo tudo para acelerar o processo, mas que a Samsung não está ajudando. Pouco mais tarde, a Samsung disse que está, sim, trabalhando em prol do processo.

Visando resolver as coisas, Koh mandou os advogados se encontrarem no domingo (12/8).

Posts relacionados