Mitos e dúvidas sobre as baterias de iPads, iPhones, iPods e MacBooks

Bateria de notebooks da Apple

Não tem jeito: ao comprar um iGadget ou um MacBook Air/Pro, muita gente fica na dúvida em como deve fazer para não prejudicar o desempenho da bateria. Uns acham que, se tirar o MagSafe (carregador) do notebook, tem que necessariamente deixar a bateria terminar (chegar a 0%) para voltar a carregá-la. Outros ficam com medo de utilizar as máquinas por longos períodos conectados à energia. O que pode? O que *não* pode?

Há cinco anos fizemos um artigo explicando como recalibrar a bateria de MacBooks [Pro]. Alguns meses depois, demos algumas dicas de como conservar a bateria de laptops. Como sabemos, cinco anos nesse mercado de tecnologia é uma vida — tudo bem que as baterias não evoluíram tanto assim como a gente gostaria, mas ainda assim algumas coisas mudaram de lá pra cá.

Abaixo, compilamos informações sobre o assunto, retiradas diretamente do site da Apple e de artigos de suporte da Maçã — ou seja, diretamente *da fonte*! 😛

Sobre as baterias de íons de lítio

Todas as baterias utilizadas pela Apple são de íons de lítio que, hoje, ainda oferecem a melhor performance. Elas podem ser recarregadas sempre que for conveniente, sem precisar do ciclo completo de carga ou descarga (ir de 100% a 0%, ou de 0% a 100% — resumindo, você pode interromper esse processo sempre que precisar, sem ter medo de estar fazendo algo de errado/prejudicando a bateria).

A grande maioria das baterias de polímeros de íons de lítio usam uma carga rápida para atingir 80% da capacidade e, aí, mudam para uma carga mais lenta. Toda bateria tem uma vida útil — um número determinado de vezes que ela pode ser carregada/descarregada por completo, o que chamamos de ciclo de carga.

Um ciclo de carga significa usar toda a capacidade da bateria, mas isto não quer dizer necessariamente que isso precisa ser feito de uma vez só. Aqui vai um exemplo: você pode usar seu iPhone por algumas horas, até que ele atinja 50% de bateria, e então recarregá-lo totalmente. Se você fizer a mesma coisa no dia seguinte, isto contaria como um ciclo de carga, em vez de dois (50% num dia mais 50% no outro). Ou seja, no iPhone é mais difícil, mas num MacBook, podemos demorar vários dias para completar um ciclo.

Cada vez que um ciclo de carga é completado, a capacidade da bateria diminui. Contudo, em condições normais, podemos fazer vários ciclos até que a bateria comece a mostrar sinais de “cansaço”, retendo menos de 80% de sua capacidade original. Mas não tem jeito: uma hora ela morre e, hoje em dia, o jeito mais seguro e recomendado de trocarmos ela é levando nosso iProduct a uma assistência técnica autorizada Apple, para que o serviço seja feito por profissionais credenciados pela Maçã.

Baterias de notebooks (MacBooks)

Longevidade

As baterias de novos MacBooks Air e Pro têm elementos químicos que prolongam consideravelmente o tempo de vida útil. Elas aguentam, por exemplo, 1.000 ciclos completos de carga e descarga antes de atingirem 80% da sua capacidade original — se o seu MacBook for mais antigo, veja neste artigo de suporte quantos ciclos a bateria dele suporta (dica: bem menos que os atuais 1.000).

Bateria de notebooks da Apple

Além disso, o carregamento adaptativo reduz o desgaste da bateria, dando uma vida útil de até cinco anos, ou seja, o suficiente para você não se preocupar com ela — é bem possível até que você troque máquina antes de a bateria oferecer sinais de “cansaço”.

Primeira carga

A Apple recomenda que, ao abrir a caixa de seu MacBook e utilizá-lo pela primeira vez, carregue inteiramente a bateria e rode a Atualização de Software (Software Update) — periodicamente a Maçã lança atualizações que podem melhorar a performance da bateria.

Carregando/manutenção

É importante manter os elétrons dentro da bateria baseada em lítio em movimento, de vez em quando. A Apple não recomenda deixar o computador ligado (à energia) o tempo todo, durante dias/semanas seguidas. Um uso ideal, para os engenheiros da Maçã, seria alguém que utiliza o notebook na viagem para o trabalho e, então, o liga no escritório para carregar. Isso mantém os fluidos da bateria circulando.

Ou seja, se você, assim como eu, trabalha tempo integral num MacBook conectado à energia, lembre-se que, de vez em quando, é bom desplugar o MagSafe e deixar a bateria trabalhar um pouco. Lembra do ciclo de carga, que comentei acima? Pois a Apple recomenda pelo menos um dele ao mês — lembrando que isso não necessariamente significa deixar a bateria ir de 100% a 0% de uma vez só.

Armazenagem de longo prazo

Se você está planejando viajar por um longo período — sem utilizar o MacBook —, a Apple recomenda que você armazene a bateria com 50% da carga. Por quê? Se você armazena uma bateria quando ela está totalmente descarregada, ela poderia cair em um estado de profunda descarga, que a torna incapaz de armazenar qualquer carga. Por outro lado, se você a armazena totalmente carregada, a bateria pode experimentar alguma perda de capacidade, o que significa que ela terá uma vida mais curta.

Temperatura ideal de uso/armazenagem

As baterias de MacBooks funcionam melhor de 10º a 35º centígrados. Se for guardar o notebook por um longo período (ou seja, com o computador desligado), a recomendação é entre -25º e 45º centígrados — não guarde, por exemplo, na mala do seu carro estacionado na orla da praia. 😛

Duração da bateria

Não confundir duração da bateria (quantas horas ela vai aguentar, o uso do gadget) com vida útil da bateria (quantos anos ela vai sobreviver antes de precisar ser trocada). Falando especificamente do primeiro caso, vale ressaltar que o brilho de tela, a utilização de rede Wi-Fi, do Bluetooth… tudo isso influencia no desempenho/capacidade da bateria. Caso queira utilizar seu MacBook por mais tempo, veja neste artigo de suporte como fazer todos esses ajustes.

Calibrando a bateria

Lembra do artigo de cinco anos atrás, falando sobre recalibração da bateria? Pois saiba que as atuais baterias (integradas aos notebooks) são pré-calibradas e não requerem o procedimento de calibração. Caso a sua máquina seja mais antiga (com bateria removível, basta seguir as nossas instruções. 😉

Bateria de iPods, iPhones e iPads

A história aqui é basicamente igual à de notebooks. Contudo, nesses casos, temos que nos atentar a alguns detalhes. Se você tem, por exemplo, um iPhone e um iPod, é capaz de o iPod ser utilizado esporadicamente. Aqui, vale a recomendação da Apple: armazene-o com 50% de bateria.

Bateria de um iPhone 4Longevidade

Baterias de iPhones e iPods aguentam até 400 ciclos de carga antes de começarem a mostrar sinais de desgaste (80% de sua capacidade original). Já as de iPads aguentam 1.000. Se você carregar seu iPhone/iPod dia sim, dia não, por exemplo, isso significa que a bateria dele vai demorar mais de dois anos para começar a perder capacidade. No caso do iPad, nem se preocupe com isso. 😛

Carregando

Recentemente, Michael Tchao (vice-presidente de marketing de produtos) explicou algo curioso sobre os aparelhos da Apple. A empresa confirmou que o visor de iGadgets mostra 100% carregado pouco antes de o dispositivo completar a recarga. Neste ponto, ela continuará carregando até 100%, depois descarregará um pouco, voltando a carregar até 100% e repetindo esse processo até o aparelho ser desconectado.

Existe um circuito que foi projetado para que você possa manter o seu aparelho conectado à energia o tempo que for necessário, portanto, não se preocupe em colocar seu iPhone para carregar durante a noite e só tirá-lo da tomada na manhã do dia seguinte. 😉

Temperatura ideal de uso/armazenamento

As baterias de iGadgets aguentam mais variações que as de notebooks, podendo ser utilizadas entre 0º a 35º centígrados. Já a temperatura para armazenamento é a mesma: entre -25º e 45º centígrados.

Duração da bateria

Assim como em notebooks, os ajustes do iGadgets influenciam muito na duração da bateria. Notificações, localização, push/fetch de emails, Wi-Fi, Bluetooth, brilho de tela, equilizador, uso de rede 3G… tudo isso pode ser desligado/ajustado caso você queira econimizar um pouco de bateria.

·   ·   ·

Vale notar que a bateria de qualquer produto é muito influenciada pelo software. No caso de MacBooks, a otimização do OS X tem um peso muito importante nisso, e cabe à Apple melhorar isso pra gente. O Lion deixou muito a desejar nesse quesito, e o Mountain Lion, em sua versão de lançamento (10.8), ainda apresenta problemas para muitos usuários.

Contudo, conforme o Softpedia informou, alguns desenvolvedores estão notando uma melhora significativa na bateria com a liberação do segundo beta do OS X 10.8.1 — por enquanto disponível apenas para desenvolvedores. Um deles relatou que a duração praticamente dobrou, passando de 4 horas e 5 minutos para 8 horas! Resta agora torcer para a primeira atualização de manutenção do Mountain Lion chegar logo, e que todos nós possamos ser beneficiados. 😉

Posts relacionados

Comentários