iPhone 5 adota novo padrão de chips Nano-SIM; 4G não deverá funcionar no Brasil [atualizado]

Cartão Nano-SIM proposto pela Apple

O iPhone 5, apresentado hoje durante o evento especial da Apple no Yerba Buena Center for the Arts, mede somente 7,6 milímetros de espessura, 18% mais fino que o iPhone 4S.

Publicidade

Para realizar essa façanha, os engenheiros da Apple tiveram que enfrentar inúmeros desafios. Um deles foi diminuir ainda mais o Micro-SIM, utilizado pelas quarta e quinta gerações do iPhone. O resultado desse trabalho foi o Nano-SIM, que é 44% menor e ainda mais fino que o Micro-SIM. O novo padrão dá mais espaço para os engenheiros aumentarem a bateria, que ainda é o maior gargalo de dispositivos móveis.

Cartão Nano-SIM proposto pela Apple

O fato de o iPhone 5 ser mais comprido, além de sua antena ter ganhado algumas melhorias de design, também deve melhorar a recepção do sinal das operadoras, disse Spencer Webb ao MacRumors, especialista em antenas e dono da AntennaSys.

Publicidade

Ergonomicamente, um celular mais alto significa que uma mão normal não será capaz de cobrir as duas antenas. É mais difícil de segurá-lo “errado”.

iPhone 5 com 4G LTE. Não no Brasil

Quanto ao suporte à tecnologia 4G LTE, o iPhone 5 não deverá ser compatível com o padrão que o Brasil adotará. O novo smartphone suporta LTE (4G) nas frequências 700b MHz, 700c MHz, 850 MHz, 1800 MHz, 1900 MHz e 2.100 MHz, enquanto o Brasil adotou 2.500 MHz.

A menos que o iPhone 5 venha para nosso país em uma nova versão, suportando a nossa frequência, consumidores não poderão usufruir de toda a velocidade disponível. Apesar de ele estar disponível em duas versões GSM (A1428 e A1429) e uma CDMA (A1429), eu aposto que ele não terá uma versão exclusiva para o 4G do Brasil, já que essa tecnologia não deve chegar ou se disseminar tão cedo por aqui.

Publicidade

É importante avisar também que quem comprar um iPhone lá fora terá dificuldades para encontrar cartões Nano-SIM por aqui. Não será possível (ou pelo menos não será nada fácil) também cortar o chip para transformá-lo em um Nano-SIM, assim como muitos já fizeram com o Micro-SIM, segundo o Ubergizmo. O jeito é esperar o iPhone 5 chegar a terras tupiniquins e/ou as operadoras começarem a comercializar o novo padrão de cartões, aproveitando a nossa *maravilhosa* conexão 3G nesse meio tempo.

Atualização, por Rafael Fischmann

De acordo com o G1, a operadora Vivo iniciará a venda de chips Nano-SIM no Brasil já em 15 de setembro — sim, neste sábado, antes mesmo da chegada do iPhone 5 ao mercado americano.

Publicidade

O preço será o mesmo dos Micro-SIM: R$10. Nada mau! 😉

[dica do Rodrigo Abdo]

Posts relacionados