Evento especial: Phil Schiller apresenta também os novos Macs mini e novos iMacs

Mac mini 2012

Dando continuidade ao evento, Phil Schiller apresentou os novos Macs mini e brincou com a plateia, falando “vocês sabiam que haveria algo chamado ‘mini’ nesta apresentação, né!”

O Mac mini é o menor e mais acessível Mac da atualidade. As novas máquinas trazem o processador Intel Core i5 e i7 “Ivy Bridge”, Intel HD Graphics 4000, entre outras características. Nos Estados Unidos, o modelo de entrada sai por US$600 (Core i5 de 2,5GHz, 4GB de RAM e 500GB de HDD) e o modelo “Server” custa US$1.000 (Core i7 quad-core de 2,3GHz, 4GB de RAM e dois HDDs de 1TB). Todos os novos Macs mini começarão a ser vendidos hoje, também tão amigáveis ao meio ambiente quanto os outros, consumindo apenas 11W.

Evolução do iMac

Mas o grande destaque da linha Mac sem dúvida foi o novo iMac. Schiller afirmou que ele é o desktop mais vendido nos EUA. Como podemos ver acima, Phil lembrou dos primeiros iMacs G3 coloridos e os comparou com os designs atuais. Já foram sete gerações diferentes, sempre melhorando. Hoje, a oitava foi apresentada — incrivelmente fina!

“É absolutamente incrível, o Mac mais bonito que já criamos”, disse Schiller. O canto tem apenas 5mm de espessura, sendo 80% mais fino que o anterior. Isso porque havia um espaço desnecessário entre o display e a tela, agora removido. A laminação é feita direto no vidro, tornando o conjunto mais fino e reduzindo os reflexos, como nos MacBooks Pro.

O modelo de 21 polegadas tem 1920×1080 pixels, enquanto o de 27 polegadas tem 2560×1440 pixels — ambos com IPS de 178º e brilho de 300 nits. O conjunto conta com outras tecnologias de redução de reflexo, 75% menos que a geração anterior. Todos os displays são calibrados individualmente com tecnologias modernas. Além disso, eles contam com câmera FaceTime HD, dual microfones, alto-falantes estéreo, Wi-Fi 802.11n, processadores Intel Core i5 e i7, duas portas Thunderbolt, três USB 3.0, fone de ouvido, Gigabit Ethernet e mais.

É importante frisar que a Apple matou o drive óptico (SuperDrive), assim como fez com o Mac mini há um tempo. Quem quiser, é claro, poderá comprar um SuperDrive USB separadamente. Outra novidade da nova geração é o Fusion Drive, opcional para todos os modelos a partir do segundo da linha, o que nada mais é do que a fusão de HDD com SSD. Usuários terão 128GB de memória flash e mais um HDD de 1TB ou 3TB, funcionando como um volume só, sem configuração especial. O sistema operacional e aplicativos ficam na área flash do drive, enquanto o resto fica no HDD. O bacana é que tudo é feito de forma automática — “it just works!” O OS X sabe o que você precisa e onde armazenar cada coisa. Ele inclusive coloca apps pouco usados no HDD.

Agora, aos preços: o modelo de 21,5″ com 2,7GHz, 8GB de RAM, NVIDIA GeForce GT 640M e HDD de 1TB sairá por US$1.300 nos Estados Unidos, com as vendas se iniciando em novembro. Já o de 27″ vem com 2,9GHz Core i5, 8GB, GeForce GTX 660M e 1TB de HDD, saindo por US$1.700, mas chegando apenas em dezembro. Todos os novos iMacs são também bem amigáveis ao meio ambiente, consumindo 50% menos energia que o anterior quando em modo espera.

Posts relacionados

Comentários