Apple pagou menos de 2% de impostos sobre sua montanha de dinheiro que está fora dos EUA

Tio Sam cobrando impostos

Não é novidade para ninguém — que acompanha o mundo Apple, é claro — que grande parte dos bilhões que a Apple tem em caixa está fora dos Estados Unidos. No último trimestre fiscal da empresa, por exemplo, as vendas internacionais representaram 60% da receita.

Tio Sam cobrando impostos

Apesar de a Apple ser americana, o dinheiro arrecadado globalmente continua espalhado pelo mundo. A culpa disso são os altos impostos para levar esse montante aos EUA. Se a empresa fizesse isso, teria que pagar 35% de imposto, o que ela e muitas outras companhias consideram bem alto — não é à toa que estão brigando por um “feriado fiscal”, justamente para poder levar essa grana ao país.

Sempre que um ano fiscal da empresa termina, essa discussão ganha a mídia. O motivo é simples: conforme apontou o The Sunday Times, o formulário 10-K enviado à SEC (U.S. Securities and Exchange Commission) mostra que a empresa pagou menos de 2% em impostos sobre sua montanha de dinheiro acumulada no exterior. Traduzindo para números reais, a Maçã pagou US$713 milhões sobre os US$36,8 bilhões que tem espalhados por aí. Em contrapartida, ela pagou nada mais nada menos que US$12,2 bilhões em impostos sobre o valor arrecadado nos EUA.

Vale notar que a Apple não está fazendo nada ilegal, nem mesmo se utilizando de manobras altamente complexas para conseguir pagar esse pequeno imposto fora dos EUA — ela cumpre a lei, como deve. A empresa inclusive calcula suas finanças aplicando o imposto de 35% em cima desse valor, pensando já na possibilidade de, um dia, fazer o movimento. Contudo, sabemos que isso dificilmente acontecerá, a não ser que a Apple — junto a outras — consiga convencer o governo americano de cobrar menos impostos.

[via CNET News]

Posts relacionados

Comentários