O ritmo da “Era Cook”

Timeline de produtos da Apple

Há uma semana a gigante de Cupertino anunciou uma [grande] alteração no seu corpo de executivos. A Apple já havia apresentando mudanças em seu ritmo há algum tempo e essa foi, sem dúvida, uma das maiores. Dentre elas, a substituição de um dos executivos que participou da criação da “galinha dos ovos de ouro” da Maçã, que serviu de base para tantos outros produtos que a fizeram disparar em crescimento nos últimos anos, foi no mínimo uma atitude arriscada, e provou que Tim Cook tem fibra, mostrando que está regendo um novo ritmo para a companhia.

O cronograma de atualizações de certa forma saturou o segundo semestre deste ano e foi também outra medida arriscada, que, apesar da sobrecarga nítida das fábricas (mostradas por escassez de produtos), fluiu muito bem. E agora o CEO, junto à sua equipe, se depara com outro grande desafio: o próximo ano. O prospecto abaixo mostra como poderá ser o ritmo comandado por Cook nos próximos meses.

Timeline de produtos da Apple

Clique para ampliar.

Segundo ele, novembro contará com a chegada do iTunes 11 [nomenclatura confirmada pela caixa dos novos iPads], ainda a tempo de receber também o iOS 6.1 — arrisco dizer que essas datas coincidirão com a famosa “Black Friday”. Além disso, para o último mês do ano, teríamos a terceira atualização do OS X Mountain Lion, além do tão comentado Microsoft Office para iOS.

Para iniciar 2013, o mesmo cenário de eventos que ocorreu em 2009: em janeiro, um evento voltado para o Mac. Além de uma grande atualização para as suítes iLife e iWork, ele poderá trazer um upgrade de hardware (que seria muito provavelmente a prometida atualização para os Macs Pro) e uma nova versão do OS X — aposto que ela será a última versão do sistema e que, como rumores apontaram nos últimos meses, que em 2014 poderemos ter a unificação total dele com o iOS.

Logo em meados de março, a Maçã liberaria para desenvolvedores a primeira versão de testes do iOS 6.2, que só será disponibilizado ao público mais tarde, em abril, quando o iPad de 9,7 polegadas terá sua atualização para a quinta geração — esta sim, com uma reformulação de design, seguindo o iPhone 5 e o iPad mini.

Já em junho, durante a tradicional Conferência Anual de Desenvolvedores (Worldwide Developers Conference), as apresentações deverão ser bem parecidas com as da WWDC 2012, no entanto, com muitas novidades — principalmente devido à nova direção. Imagino que a keynote poderá começar com o Phil Schiller eliminando a geração de MacBooks Pro sem tela Retina e introduzindo um novo MacBook Air com tela Retina, além de (obviamente) atualizar os MacBooks Pro. Após isso, Craig Federighi deverá subir ao palco e comandar a maior parte do evento, apresentando as últimas novidades do OS X e o novíssimo iOS 7. A apresentação dos softwares poderá contar também com o Eddy Cue, falando sobre a Siri (quem sabe sobre sua chegada aos Macs), o Maps e outros serviços.

Com sua chegada razoavelmente mais cedo do que a geração anterior, a sétima geração de iPhones deverá ser apresentada em meados de agosto, junto aos novos iPods, que deverão contar também com telas Retina. A atualização não deverá ser tão significativa (seguindo a lógica adotada até hoje) e o cenário deverá permanecer o mesmo.

Fim da transição Retina

No início de outubro, os executivos de Cupertino subirão novamente ao stage para um evento bem parecido com o que tivemos em outubro deste ano, onde a grande novidade seria o fim da transição Retina. Iniciada em junho de 2010, ainda sob o comando de Steve Jobs, a inovadora tela Retina foi ocupando lentamente todos os setores da empresa, e, depois de três anos e quatro meses de evolução, tal tecnologia estará presente em todos os produtos. Logicamente, para que isso seja verdade, a Apple apresentaria nesse evento o iPad mini de segunda geração e o novo iMac, além de um novo Thunderbolt Display, todos equipados com resolução Retina, além de outras novidades.

Foto de olho em MacBook Pro com tela Retina

Após toda essa jornada de eventos de 2013, a Apple ainda teria dois meses para finalização de projetos do ano seguinte e atualizações de sistemas, até que um novo curioso evento, em janeiro de 2014, deverá introduzir uma linha totalmente nova para “TVs” — são incontáveis os rumores sobre isso, e vão desde uma “Apple TV” reformulada até a tão sonhada HDTV da Apple.

Julgando que todo — ou que boa parte dele — esse prospecto se concretizasse, estaria (mais uma vez) provado que Tim Cook criou um novo ritmo para a Maçã e, com toda a forte base de executivos que ele tem, me arrisco a dizer que os números aumentariam e bateriam ainda mais recordes de vendas e receitas em 2013. “Apenas a Apple consegue criar produtos tão extraordinários”, já diria o CEO.

A partir daí nunca se sabe quais os planos da Apple, que podem incluir até uma nova migração de processadores em Macs e coisas totalmente novas ainda fora do escopo dos rumores. É… vamos que vamos! 😉

Posts relacionados