Em setembro, 88% dos trabalhadores monitorados pela Apple ficaram em conformidade com o código de trabalho da empresa

Gráfico de conformidade de fornecedoras com as horas de trabalho (setembro)

Depois do imbróglio envolvendo as condições de trabalho na China, a Apple se comprometeu em informar, através de seu site, o progresso em algumas áreas da produção de iProducts, como por exemplo o excesso de horas de trabalho.

O último que comentamos aqui no site foi em agosto, mês no qual 97% dos trabalhadores de suas parceiras estavam em conformidade com o código de trabalho da empresa (como por exemplo, máximo de 60 horas de trabalho semanais).

Gráfico de conformidade de fornecedoras com as horas de trabalho (setembro)

Em setembro, porém, a porcentagem caiu para 88%, mostrando que a produção do novo iPhone, dos novos iPads e dos novos Macs “atrapalharam” os planos da empresa. A companhia destaca, porém, que em períodos de pico permite que o trabalho vá além do limite de 60 horas para empregados que se oferecem para fazê-lo — algo que muitos devem querer, pois esta é a única forma de aumentar o contra-cheque no fim do mês. Outro dado importante: o número de trabalhadores monitorados passou de 800 para 900 mil.

Mais informações sobre a conduta da empresa pode ser vista na página “Responsabilidade de Fornecedores – Direitos Humanos e Trabalhistas” — mas a versão brasileira da página [veja aqui a americana] ainda não está atualizada com os novos dados.

[via TNW]

Posts relacionados