Apple poderá lançar um novo modelo de iPhone mais barato dentro de dois anos

iPhones 4 deitados

Segundo o analista Gene Munster, da Piper Jaffray, a Apple poderá lançar até 2014 um novo modelo de iPhone especificamente direcionado para os chamados “mercados emergentes”.

iPhones 4 deitados

Não é novidade para ninguém que quem mora no Brasil ou em outros países emergentes como Rússia, Índia e China paga preços altíssimos na compra de iPhones desbloqueados (unlocked). Não é à toa que operadoras oferecem subsídios na compra de aparelhos; elas garantem o cliente por pelo menos 1-2 anos e, ao mesmo tempo, o consumidor realiza o sonho de ter um smartphone mais caro.

Só que, assim como existem clientes que não pretendem ficar presos a operadoras, existem operadoras que também acham que esse modelo de comércio não é vantajoso para o seu negócio. Um exemplo é a T-Mobile dos Estados Unidos: o COO da telecom, Jim Alling, disse recentemente que não iria aceitar os termos de negócios da Apple porque eles não querem comprometer as suas margens de lucro, visto que iriam gastar bilhões de dólares em subsídios para o iPhone.

Um detalhe que pode estar incomodando a Apple são as vendas de smartphones com o sistema Android na China, as quais dominam 90% do mercado. Como é bem sabido por aí, o país asiático é profundamente importante para empresas como a Apple.

Levando em conta os motivos supracitados, é claro que todas as operadoras querem revender o iPhone, assim como existem usuários que almejam ter um smartphone da Apple, mas não o adquirem porque ele é caro demais para a grande maioria (especialmente no Brasil) e não querem se comprometer com planos de contratos longos.

Munster espera que a Apple lançará até 2014 um modelo de iPhone com preço na base de US$200, já sem contrato, numa manobra da Apple feita especialmente para tentar conter o crescimento de aparelhos com Android e Windows Phone.

Com isso a Apple pode ganhar mais espaço em países como os que fazem parte do grupo BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), a não ser que ela realmente não esteja incomodada com a perda dessa fatia perante a concorrência ou até mesmo ache que lançar o novo modelo mais acessível poderá prejudicar as vendas dos mais caros. O tempo dirá.

[via iDownloadBlog]

Posts relacionados