Em entrevista para o WSJ, Eric Schmidt fala sobre Apple e as disputas legais entre ela e o Google

Eric Schmidt, presidente executivo do Google

Eric Schmidt, atual presidente executivo do Google, foi entrevistado pelo Wall Street Journal. É claro que a Apple não ficaria de fora do bate-papo, por isso essa entrevista muito nos interessa.

Além de achar que Google, Apple, Amazon.com e Facebook são as empresas mais importantes no mercado de tecnologia — nunca quatro “plataformas” disputaram a atenção de consumidores como agora —, Schmidt afirmou que a relação entre a gigante de buscas e a Maçã tem seus altos e baixos. Os últimos capítulos envolveram a remoção dos aplicativos nativos Mapas e YouTube do iOS, o que foi um baque para o Google.

Eric Schmidt, presidente executivo do Google

Contudo, Schmidt disse que, por mais que a imprensa insista numa relação de adolescentes entre as empresas (saindo no tapa, vendo quem derruba a outra primeiro), ele enxerga as coisas mais como uma forma adulta de gerenciar negócios, muito mais próximo de uma relação de países: “Países têm disputas, mas eles são capazes de ter enormes comércios. Eles não estão enviando bombas uns para os outros.”

Schmidt acha ainda que tanto Tim Cook (CEO da Apple) quanto Larry Page (CEO do Google) são sucessores de Steve Jobs e dele mesmo respectivamente, tendo uma compreensão geral do modelo de Estado. “Quando eles e suas equipes se encontram, eles têm apenas uma longa lista de coisas para falar.”

Falando especificamente sobre as disputas legais envolvendo ambas as empresas, Schmidt afirmou que as companhias estão sempre conversando sobre o assunto e que uma compreende muito bem a estratégia legal da outra — ele chamou a estratégia da Apple de processar as parceiras do Google e não a própria empresa de curiosa.

Para ele, as disputas continuarão por um tempo e os grandes prejudicados nessa história não são Apple e Google e sim os “pequenos”, que estão começando agora. Ele deu o exemplo de “um novo Andy Rubin” (fundador do Android): hoje, é muito complicado nascer uma nova empresa como essa, um novo projeto de sistema, já que para isso seria necessário utilizar patentes/inventos de outras companhias.

Schmidt ainda falou da monetização da App Store e da Google Play — ele disse que apenas agora desenvolvedores estão começando a ganhar dinheiro com a loja do Google —, da concorrência da Siri com o sistema de buscas da empresa, da estratégia da Microsoft com o Windows 8 e da possibilidade (negada) de trabalhar para o governo federal americano.

[via AppleInsider]

Posts relacionados