Confira um resumão dos processos os quais envolvem a Apple

Martelo de juiz

A vida da Apple nos tribunais não está fácil. Confira abaixo as últimas disputas que envolvem a firma de Cupertino:

Publicidade

Intelligent Smart Phones Concepts vs. Apple

Aparentemente, trata-se de uma empresa de fachada. A Intelligent Smart Phones Concepts acusa a Maçã de infringir a patente americana de número 7.373.182 (telefone móvel sem fio, incluindo fone de ouvido) e está pedindo US$3 milhões em danos, além de um banimento dos fones de ouvido da Apple.

Intercarriers Communications vs. Apple

De acordo com a CBC News, a patent troll Intercarriers Communication processou a Apple por suposta infração no FaceTime e no Mensagens. A patente em questão (de número 6.985.748) cobre serviço de mensagens entre operadoras fornecendo apenas um número de telefone.

Publicidade

Aparentemente o invento foi transferido para a Intercarriers Communications para que ela processasse diversas empresas como Broadsoft, Inerop Technologies, Iris Wireless, Mobiweb e outras.

Amanda Ladas vs. Apple

Amanda Ladas está processando a Apple alegando que a empresa violou a privacidade e segurança dos usuários de iPhones, iPads e iPods touch que utilizam o sistema operacional iOS 4. Ela alega que, além da violação de segurança e privacidade, a Apple está “envolvida em atos ou práticas enganosas” que dão direito a ela — e a qualquer um que queira se juntar ao processo — receber indenizações por danos morais.

De acordo com o relatório do tecnólogo Francis Graf, o qual faz parte do processo, o iPhone 4 de Ladas contém o histórico de dados de localização de um ano atrás, que é facilmente acessado utilizando ferramentas livres disponíveis na internet.

WhitServe vs. Apple

A WhitServe, que detém a propriedade intelectual mas não fabrica nenhum produto real, está processando a Apple. Ela alega que o OS X infringe a patente de número 7.921.139, que cobre “sistema para abrir e exibir sequencialmente arquivos em um diretório”, com o recurso Quick Look.

Publicidade

Ela afirma que a infração da Maçã causa danos irreparáveis e está buscando recompensas financeiras além de um banimento do recurso.

Adam Crouchley vs. Apple

Adam Crouchley, um especialista em marketing online, está processando a Apple pois afirma ter encomendado diversos produtos no site da empresa, os quais foram cancelados devido a um problema nos preços.

Em outubro, Crouchley reparou que alguns acessórios na Apple Online Store neozelandesa estavam muito baratos, custando centavos de dólar. Ele mesmo desconfiou que algo estava errado mas, ao checar os preços via chat online oferecido pela Apple, a atendente confirmou que os valores estava corretos.

Publicidade

“Eu pedi um monte de coisas. Eu comprei cerca de US$35 que valiam cerca de US$1.600, então eu estava muito feliz comigo mesmo”, disse Crouchley. Alguns produtos que foram enviados rapidamente chegaram, mas outros foram retidos pela Apple e cancelados por causa da confusão com o preso. Resultado: processo.

Washington Research Foundation vs. Apple e outras

Apple, Microsoft, HP, Samsung, D-Link, Parrot e Logitech foram processadas pela Washington Research Foundation (WRF), uma instituição de pesquisa sem fins lucrativos. Ela alega que todas essas companhias estão infringindo as patentes 6.427.068, 6.631.256, 7.116.963, 7.606.542, 7.853.225 e 7.925.238, as quais cobrem um “sintonizador de alta frequência num simplificado método de ajuste”.

Todas elas utilizam o chip da Qualcomm, que não possui a licença da WRF para a utilização do invento. Por isso, elas foram incluídas no processo.

Wi-LAN vs. Apple

A Wi-LAN processou a Apple nos tribunais da Flórida e do Texas, e acusa a Maçã de infringir as patentes 6.381.211, 8.315.640 e 8.311.040 — todas relacionadas ao padrão 3GPP LTE.

Os produtos supostamente infratores são o iPhone 5 e iPad de terceira geração.

Digitech Image Technologies vs. Apple

A Digitech Image Technologies moveu ações individuais de infração de patentes contra várias empresas de tecnologia nos últimos meses, incluindo a Apple. Todos os processos foram baseados na patente 6.128.415, comum da Polaroid. Ainda não há informações exatas sobre o processo, mas é provável que seja contra todos iDevices que utilizam câmeras HD na parte traseira.

·   ·   ·

Numa nota relacionada, a Apple foi considera culpada no caso contra a MobileMedia. O tribunal disse que a Maçã infringiu três patentes da empresa — não se sabe exatamente quais, mas elas possivelmente são relacionada à capacidade de rotacionar a tela de iGadgets.

[via GigaOM, Electronista, MacNews, CNET News, Macworld UK, TNW, Patently Apple: 1, 2; 9to5Mac]

Posts relacionados