Juíza determina que a “Appstore” da Amazon.com não é propaganda enganosa

Amazon Appstore

Há quase dois anos, a Apple entrou com um processo contra a Amazon.com, acusando-a de usar o termo “Appstore” para enganar consumidores. Durante o decorrer do processo, a juíza federal Phyllis Hamilton, responsável pelo caso, já tinha até mostrado que discordava das acusações da gigante de Cupertino.

Publicidade

Amazon Appstore

Hoje, Hamilton colocou um fim numa parte importante do processo, determinando que a Apple não pode acusar a Amazon.com de fazer propaganda enganosa, segundo a Reuters. David Eberhart, advogado da Maçã, protegia a empresa dizendo que consumidores associam a marca “App Store” aos serviços de alta qualidade da Apple.

A juíza declarou não acreditar que donos de smartphones confundirão a Amazon Appstore para Android com a App Store e que o uso do termo “Appstore” não é propaganda enganosa. Como notou o The Verge, o processo ainda não chegou ao fim e a Amazon ainda poderá ser acusada de violar a marca da Apple.

Posts relacionados