Apple está melhorando seus mapas rápida e silenciosamente; mudanças no Brasil ainda são pouco significativas

Ícone do Mapas no iOS 6

A Apple tem diversos acertos em seus currículo, mas erros também fazem parte de qualquer boa empresa. O último que causou bastante polêmica foram os mapas nativos do iOS 6, os quais fizeram Tim Cook (CEO da empresa) se desculpar publicamente e um dos motivos (de acordo com pessoas próximas da Maçã) da demissão de Scott Forstall (ex-chefão do iOS) — além, é claro, da saída de Richard Williamson, um dos responsáveis diretos pelos mapas.

Ícone do Mapas no iOS 6

Cook rapidamente agiu para corrigir os problemas e deixou o projeto sob responsabilidade de Eddy Cue, vice-presidente sênior de softwares e serviços para internet. Ele prometeu melhorias para o serviço e, felizmente, parece que elas estão chegando. Pelo menos em alguns países importantes para a companhia.

No Japão, nem mesmo foi preciso liberar o iOS 6.1.3 para que as melhorias chegassem. Silenciosamente a Maçã levou notificações de pedágio; melhoria na pronúncia das estradas durante a navegação ponto a ponto; ícones atualizados e etiquetas para auto-estradas, estações de trânsito, linhas de metrô e de outras categorias como estações de bombeiros, hospitais e postos de correio; acrescentou edifícios em 3D; entre outras coisas.

O recurso Flyover (navegação de prédios em 3D), ainda indisponível para nós (brasileiros), chegou a 16 cidades de 3 países e foi expandido em mais 14, incluindo Estocolmo (Suécia), Munique/Berlim (Alemanha), Londres (Inglaterra), Madri (Espanha), Roma (Itália), Copenhague (Dinamarca), Lyon (França) e Barcelona (​​Espanha).

A navegação ponto a ponto recebeu melhorias em diversas cidades europeias e a China ganhou um novo esquema de cores correspondente aos mapas baseados em vetores; novos caracteres para melhorar a legibilidade; reorganização dos locais mais relevantes; atualizações de rodovias; além da inclusão de estradas mais estreitas.

Para completar todas as mudanças, a Apple melhorou as informações e as imagens de satélites de várias cidades do mundo. Outras atualizações incluem informações de localização para lojas da Maçã, empresas, cinemas, teatros, restaurantes, aeroportos e pontos de trânsito.

Particularmente estou usando bastante o Google Maps pois, aqui no Brasil, os mapas da Apple ainda não contam com o recurso navegação ponto a ponto. Mas vira e mexe eu abro o aplicativo da Maçã até mesmo para acompanhar se algum erro relatado por mim foi corrigido ou se alguma informação errada foi alterada. Alguns de fato foram corrigidos, contudo outros continuam errados.

Nesse começo, acredito que a grande maioria das melhorias e correções serão concentradas nos principais países/mercados da Apple, isto é: Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, França, Japão, China, Austrália e alguns outros mais. Sem dúvida o Brasil é importante para a companhia, mas ainda não faz parte desse primeiro pelotão.

[via The Loop, 9to5Mac]

Posts relacionados

Comentários