Inicialmente orçadas em US$3 bilhões, obras do futuro campus da Apple já estão agora perto de atingir US$5 bilhões

Campus Apple

Obras gigantescas como a do novo campus da Apple, em Cupertino, não são fáceis de planejar. Na maioria dos casos, os prazos de conclusão e as estimativas de custos são extrapolados.

Campus Apple

Nós já vimos que a obra irá atrasar mas, agora, a Bloomberg Businessweek informou que a projeção inicial de US$3 bilhões de gastos já está na casa dos US$5 bilhões!

Desde 2011, o orçamento para Campus 2 da Apple inchou de menos de US$3 bilhões para quase US$5 bilhões, de acordo com cinco pessoas próximas ao projeto que não estão autorizadas a falar sobre o assunto. Se a estimativa for precisa, a expansão da Apple iria superar os US$3,9 bilhões que serão gastos com o novo complexo do World Trade Center, em Nova York, e o novo escritório custaria mais de US$1.500 por pé quadrado, três vezes o custo de muitas torres corporativas topo-de-linha.

O motivo do atraso também tem ligação com esse aumento dos custos. A Apple está trabalhando com a firma de arquitetura Foster + Partners para tentar enxugar ao menos US$1 bilhão desse novo valor.

Um exemplo da grandiosidade esse projeto é a seele, empresa alemã responsável pela produção das placas de vidro — as mesmas que equipam as tradicionais fachadas e escadarias das Apple Retail Stores. De acordo com a reportagem, ela teve que dobrar a sua capacidade de produção para atender ao projeto do campus da Maçã, que prevê seis quilômetros quadrados de vidro curvo fabricado usando processos especializados para evitar embaçamento ou distorções.

E não é porque estamos falando de uma obra gigante que a empresa não está preocupada com os detalhes. As distâncias entre as superfícies de vidro, por exemplo, não poderão passar de 1/32 de uma polegada, muito mais “colado” do que o padrão de construções americanas, de 1/8 de polegada. Esses são típicos detalhes de um projeto criado por Steve Jobs.

A futura sede da Apple terá 260.128.512 metros quadrados e acolherá 12.000 empregados. Seguindo o novo cronograma, o “campus espaçonave” deverá ficar pronto somente em meados de 2016.

[via CNET News]

Posts relacionados