Apple revela que guarda informações da Siri em seus servidores por até dois anos

Siri

A Siri ainda está em fase beta e, infelizmente, não fala o nosso idioma. Mas para quem é americano, inglês, australiano, francês, alemão, japonês, canadense, chinês, honconguês, italiano, coreano, mexicano, espanhol, suíço ou taiwanês, é inegável que a assistente virtual de iGadgets chegou para mudar a forma como interagimos com nossos dispositivos. Mas tem uma coisa que muita gente questiona nisso tudo: privacidade.

Como sabemos, tudo que é a Siri faz é processado pelos servidores da Apple — exatamente por isso é que uma conexão com a internet se faz necessária. E o que será que a Apple faz com toda essa informação (perguntas, mensagens, comandos, etc.) recebida? Ninguém sabia ao certo, até hoje.

Siri

Depois de levantar essa questão, a Wired foi contatada por Trudy Muller, porta-voz da Apple, que afirmou algo até então desconhecido: a empresa armazena as informações por até dois anos. Segundo Muller, a firma de Cupertino toma medidas para garantir que os dados sejam anônimos e só armazena coisas que ajudam a melhorar o serviço (no caso, a Siri). “A privacidade dos nossos clientes é muito importante para nós”, disse ela.

A Wired explicou como tudo acontece: o que você fala é enviado aos servidores da Apple para que seja analisado. A Maçã gera um número aleatório para representar o usuário e o associa aos arquivos de voz. Este número, que *não* tem ligação com o Apple ID ou com o endereço de email, nos representa e faz a ponte para que a resposta da análise seja entregue ao usuário correto.

Depois de seis meses a Apple desassocia o número que representa o usuário do conteúdo, excluindo-o — afinal, essa ponte não precisa ser mais feita. As informações, contudo, podem ser mantidas por até 18 meses depois, para testes e melhorias da Siri. Ainda de acordo com Muller, se um usuário desliga a Siri os identificadores são imediatamente apagados, assim como os dados associados.

Nicole Ozer, advogada da ACLU (American Civil Liberties Union), ainda acha que a Apple pode ir além, disponibilizando esse tipo de esclarecimento sobre privacidade no FAQ (frequently asked questions, ou perguntas mais frequentes) da Siri no site da empresa — o que eu concordo. Depois, Ozer deu uma boa exagerada dizendo que, mesmo se os dados da Siri não estão ligados diretamente aos usuários, as pessoas devem ter cuidado com o que dizem à assistente pessoal digital, já que transcrições do que você fala poderiam revelar coisas sensíveis sobre você, sua família ou seus negócios. “A Siri funciona para a Apple, então lembre-se de pensar antes de falar.”

Posts relacionados