Apple vende 37,4 milhões de iPhones e 19,5 milhões de iPads no seu segundo trimestre fiscal de 2013; dobrará retorno de dividendos a acionistas

Logo da Apple

Logo da AppleA Apple anunciou agora há pouco seus resultados financeiros referentes ao segundo trimestre fiscal de 2013, cujo período foi finalizado em 30 de março de 2013.

A companhia divulgou uma receita trimestral de US$43,6 bilhões, com lucros de US$9,5 bilhões — ou US$10,09 por ação diluída. Os resultados comparam-se a US$39,2 bilhões, US$11,6 bilhões e US$12,30, respectivamente, no mesmo período de 2012. É a primeira vez que o lucro da empresa caiu de um ano para outro, em bastante tempo.

A margem bruta no período foi de 37,5%, contra 47,4% no segundo trimestre fiscal de 2012. O valor também é abaixo do esperado por analistas de Wall Street, embora dentro do que a Apple havia divulgado anteriormente. Vendas internacionais compreenderam 66% de todo o faturamento do trimestre.

No período, a Apple vendeu 37,4 milhões de iPhones, contra 35,1 milhões há um ano. Foram vendidos 19,5 milhões de iPads, um belo salto dos 11,8 milhões de um ano atrás. A firma de Cupertino também entregou pouco menos de 4 milhões de Macs, contra 4 milhões redondos em 2012. Curiosamente, até o momento ela não divulgou números de vendas de iPods.

Declaração de Tim Cook, CEO da Apple:

Estamos contentes em divulgar uma receita recorde no trimestre de março, graças à forte e contínua performance do iPhone e do iPad. Nossas equipes estão trabalhando duro em novos hardwares, softwares e serviços incríveis, e estamos bem empolgados com os produtos no nosso planejamento.

Já Peter Oppenheimer, CFO da empresa, disse:

Nossa geração de caixa continua bem forte, com US$12,5 bilhões em fluxo de caixa de operações no trimestre e finalizando com um balanço de US$145 bilhões.

Para o terceiro trimestre fiscal de 2013, a Apple prevê uma receita entre US$33,5 e US$35,5 bilhões, margem bruta entre 36% e 37%, gastos operacionais entre US$3,85 e US$3,95 bilhões, outras entradas/gastos de US$300 milhões e uma taxa de impostos de 26%.

Aos que quiserem acompanhar, pontualmente às 18 horas a Apple realizará uma conferência em áudio, via QuickTime, para divulgar e comentar todos esses resultados, bem como responder a questionamentos de alguns jornalistas. Mais tarde, traremos aqui para o site tudo de quente que rolar por lá.

Programa de retorno de capital dobrado

A Apple também anunciou hoje que está dobrando(!) seu programa de pagamento de dividendos a acionistas, chegando a US$100 bilhões até o final de 2015 — um aumento de US$55 bilhões em relação ao que foi anunciado no ano passado.

Isso significa que a empresa está definindo agora uma taxa anual de retorno de US$30 bilhões, desde o primeiro dividendo pago em agosto de 2012.

O conselho da Apple também autorizou um aumento de US$10 para US$60 bilhões nos investimentos de recompra de ações da empresa, algo que também deverá ser executado até o final de 2015. O aumento em dividendos será de 15%, isto é, para US$3,05 por ação comum pagáveis em 16 de maio para acionistas registrados até 13 de maio.

Com isso, a Apple se torna uma das empresas que mais paga dividendos no mundo todo. Esse planejamento continuará sendo reavaliado anualmente pela diretoria da Maçã.

Atualização

E os analistas parecem ter gostado das novidades. Poucos minutos após a divulgação dos resultados, as ações da Apple [NASDAQ:AAPL] estão disparando mais de 5,5% nas negociações pós-fechamento dos pregões.

Posts relacionados

Comentários