O que esperar da WWDC 2013?

Logo da WWDC 2013

Antes de começarmos a debater o que a Apple pode ou não estar planejando para a próxima edição da Worldwide Developers Conference, a acontecer na segunda semana de junho, vamos relembrar quais foram as novidades apresentadas nas keynotes das últimas edições.

iPhone 4 branco visto de frente e de lado

Em 2010, ainda sob o comando de Steve Jobs, a apresentação foi bem concentrada, tratando basicamente do mesmo tema: o iPhone 4. O que não era para menos, visto que foi (na minha opinião) o maior avanço entre gerações de iPhones desde o seu lançamento original. Durante a apresentação do smartphone, a Apple também relembrou os detalhes finais do iPhone OS 4, que a partir dali seria conhecido como “iOS”.

Vídeos da WWDC 2011

Já em 2011 o evento foi bem intenso, com três grandes apresentações: a oitava versão do OS X (Lion), que começou a aproximar o iOS do OS X — principalmente por ter tirado o “Mac” do nome, chamando-o de “OS X” em vez de “Mac OS X” —, com recursos como gestos multitoque, Launchpad, Versions, Auto Save, etc. Na sequência, o então vice-presidente sênior de software iOS, Scott Forstall, apresentou a quinta versão do SO móvel [1, 2, 3] com 200 novidades, entre elas integração com Twitter, Lembretes e iMessage. Mais tarde, em outubro, com a chegada do iPhone 4S, o iOS 5 também ganhou a Siri. E, para fechar o evento com chave de ouro, Jobs apresentou uma nova visão da nuvem, algo muito além de um HDD in the Cloud, o iCloud. Não custa lembrar que esta foi a última keynote do gênio Jobs.

Novo MacBook Pro de 15 polegadas com tela Retina

No ano passado, Phil Schiller (vice-presidente sênior de marketing mundial) abriu a apresentação com uma atualização da linha de notebooks, trazendo portas USB 3.0, câmera FaceTime HD 720p e processadores “Ivy Bridge” da Intel, além da promissora tela Retina ao modelo topo-de-linha dos MacBooks Pro. Em seguida, Craig Federighi apresentou o já anunciado OS X Mountain Lion, com novos recursos como Power Nap e Ditado, e o mais legal: o menor preço para uma atualização do OS X já visto, US$20. Para concluir, Forstall apresentou seu último trabalho na firma de Cupertino, a sexta versão do iOS: novidades na Siri, “tapinhas” no sistema e o polêmico aplicativo Mapas.

Logo da WWDC 2013

Baseado nos anos anteriores, o que podemos prever e esperar da Apple para a WWDC 2013? Eis a minha opinião, abaixo:

Hardwares

Para começar o evento, uma breve atualização de hardware. Muitos acreditam que WWDC não é o local para atualização de hardwares, mas eu discordo — e vou explicar o porquê. O hardware dos Macs é basicamente a principal ferramenta para os desenvolvedores, sendo assim, sim: a WWDC não é, necessariamente, um local apenas para novidades de softwares e serviços.

O que também não quer dizer que a Apple vai atualizar qualquer produto no evento — como por exemplo, iPads. Acredito que a empresa deva segurar até outubro para lançar um iPad totalmente novo (quinta geração) e um iPad mini com tela Retina — mantendo-o com o mesmo preço acessível de hoje.

A razão para não termos um iPhone de sétima geração na WWDC é quase que auto-explicativa: toda grande atualização de iPhone vem junto de um grande update de iOS e, para que isso aconteça, o iOS 7 já deveria ter sido apresentado e entregue aos desenvolvedores em fase beta. Como isso não aconteceu, digo ser quase impossível um ‟iPhone 6” na WWDC 2013. Todavia, não descartaria totalmente a possibilidade de um iPhone 5 “revisado” (5S?) com redes 4G (LTE) globais ou até mesmo um possível iPhone de baixo custo — mesmo acreditando que esses só deverão pintar no final de agosto, mês em que o iOS 7 deverá ser disponibilizado para o grande público.

Esperar um novo produto — totalmente novo — tal como o “iWatch” ou a “iTV” para um evento como a WWDC é algo que não acredito. Quando eles chegarem (se chegarem, é bom deixar claro), muito provavelmente será em um evento totalmente focado no novo produto, para uma apresentação como a do primeiro iPad, por exemplo. Contudo, não custa sonhar — e torcer. Mas é sempre bom lembrar de uma coisa: quanto maior a expectativa, maior o tombo. 😉

Pelas razões expostas acima, para mim só teria sentido uma atualização de Macs na WWDC. O Mac Pro, que há muito já está implorando por uma atualização e deverá chegar com um novo design, componentes atualizados (portas USB 3.0 e Thunderbolt, por exemplo) e tudo mais que já debatemos em um outro artigo opinativo. Além disso, a adoção do padrão IEEE 802.11ac (apelidado de “Wi-Fi 5G”) é algo quase que certo, o que sugere uma atualização significativa para a Time Capsule — quem sabe equipada agora com SSD — e AirPorts. Também faria sentido dar um upgrade no Mac mini com essas novidades, deixando os MacBooks Air/Pro e os iMacs para o final do ano — estes, quem sabe, já ganhando também as belíssimas telas Retina.

Softwares

As estrelas do evento que já tiveram sua aparição oficialmente confirmadas: iOS e OS X. Logo após Schiller apresentar a atualização de hardware, Federighi deverá subir ao palco e apresentar tanto o OS X 10.9 quanto o iOS 7 (acredito que nesta ordem). A atualização do OS X deverá contar com a Siri e o Mapas, e acredito que Sir Jony Ive já tenha tido bastante influência nessa área.

Acho que não seria bobagem esperar uma grande mudança visual nos sistemas. No caso do OS X, recursos novos mesmo devem ser apenas a Siri e os Mapas — depois de mais de um ano de intenso trabalho, os dois deverão ganhar atualizações bem significativas. Pessoalmente, não espero grandes mudanças no OS X, como já foi comentado mais cedo.

Ainda no OS X, as suítes iLife e iWork deverão ganhar novas versões. Acredito que, pela demora para a atualização, eles deverão chegar com muitos avanços, além das tradicionais melhorias visuais e quem sabe até algum novo aplicativo. Seguindo o atual padrão da Mac App Store, seria ótimo se eles fossem lançados como uma atualização gratuita para atuais donos, mantendo os mesmos US$15 para novos usuários.

O mais aguardado do evento é o iOS 7, é claro. Por mais estranho que possa parecer, eu não espero — nem desejo — mudanças significativas na base do sistema. O iOS ainda é muito bom, só que algumas pessoas estão cansadas da sua estagnação visual. Nós, que acompanhamos o sistema desde a versão 1.0, não aguentamos mais a mesma tela de bloqueio, os mesmos menus, a mesma tela inicial… e isso, sim, deverá mudar. Apesar de duvidar de sua aparição no palco, Ive e sua equipe devem ter trabalhado bastante para uma remodelação do sistema, deixando-o mais simples, leve e belo.

É claro que diversos novos recursos farão parte da atualização, como novidades na Siri, maior integração entre os produtos da empresa e outras novidades em geral, mas não espero que este seja o foco.

Serviços

Eddy Cue (vice-presidente sênior de software e serviços para internet) deverá encerrar a apresentação com mudanças nos serviços, a começar pelo iCloud, já que este é basicamente o mesmo desde 2011. Suporte a vídeos no Photo Stream, além de uma integração mais intuitiva entre os aparelhos — ainda mais agora, que todos contarão com a mesma assistente pessoal. E por que não dobrar os planos de armazenamento, mantendo os mesmos preços? Seria ótimo!

Cue também poderá apresentar mudanças nas lojas, como compra de “pacotes” e quem sabe até mesmo o tão aguardado SDK para Apple TVs, preparando terreno para uma possível “iTV” num futuro não tão distante.

Além disso, o “iRadio”, suposto serviço de streaming de músicas (no estilo Pandora) que está sendo bastante comentado recentemente, também poderá pintar ainda nesta WWDC — seria um <em”>one more thing…” e tanto! Apesar de achar que isso tem muito mais cara de evento musical, o qual normalmente acontece em setembro, com novos iPods e tudo mais, a possibilidade existe. Como se trata de um serviço inédito para a Apple, seria interessante pensar em anunciá-lo agora, falando também da sua integração com os aparelhos da empresa. Ou, quem sabe, falar em junho e lançar pra valer no evento musical, algo difícil de acontecer — mas não impossível.

·   ·   ·

Como de praxe, a maioria das novidades deverão ser entregues aos consumidores finais entre agosto e outubro. Infelizmente acredito que o iPhone 3GS ficará de fora da brincadeira, ou seja, o iOS 7 rodará minimamente em iPhones 4.

Posto tudo isso, acho que podemos esperar bastante da 24ª edição da WWDC, que acontecerá daqui a seis semanas. Não deixe de usar o espaço dos comentários para debater e discutir o que você espera para esse grande evento! 😉

Posts relacionados

Comentários