Pesquisa: enquanto iOS está livre de malwares, Android é atingido por 91,3% deles

Gráfico sobre malwares mobile - F-Secure Labs

A “era pós-PC” chegou e, com ela, a proliferação de malwares. No último estudo do F-Secure Labs, focado no primeiro trimestre de 2013, o número de famílias e variantes de malwares aumentou consideravelmente em relação a 2012, sendo o Android o grande alvo.

Gráfico sobre malwares mobile - F-Secure Labs

Se antes o sistema móvel do Google era o foco de 79% das ameaças, o número agora pulou para 91,3% (136 de 149)! As outras ameaças são focadas no sistema Symbian, com iOS, Windows Phone e BlackBerry OS totalmente livres de malwares.

Até hoje, eu não tinha preocupação com a minha mãe e seu Android, pois ela não usa aplicativos. Agora eu tenho motivos para me preocupar pois, em casos como Stels, malwares para Android também estão sendo distribuídos por spam. E minha mãe verifica seu email de seu telefone.

Sean Sullivan, conselheiro de segurança do F-Secure Labs.

É claro que usuários em qualquer plataforma móvel, incluindo a da Apple, pode ser alvos de spams que os direcionem para sites com malwares os quais podem explorar falhas do sistema. Só que, nesse caso, a Maçã também leva vantagem, já que pode facilmente liberar atualizações para iGadgets e corrigir problemas rapidamente, enquanto o Google sofre para entregar as atualizações do Android para consumidores.

Levando em consideração que, hoje, a guerra mobile está sendo travada entre iOS e Android, segurança pode — e deve — ser um fator muito importante a ser levado em consideração. Não sejamos sensacionalistas: alguns usuários mais safos conseguem distinguir facilmente esses tipos de ameaças, mas como Sullivan bem colocou, quando o envolvido é uma pessoa mais leiga, a coisa pode ficar complicada.

[via AppleInsider]

Posts relacionados