Tim Cook fala sobre impostos e revela detalhes sobre a fabricação de Macs nos EUA

Tim Cook, CEO da Apple

A Apple tem hoje mais de US$147 bilhões em caixa. Contudo, boa parte dessa grana está espalhada pelo mundo, fora dos Estados Unidos. É muito dinheiro, não é? Recentemente, porém, a empresa optou por pegar um empréstimo no valor de US$17 bilhões para seu programa de recompra de ações, em vez de repatriar essa quantia. O motivo? Simples: os juros em cima desses US$17 bilhões são mais vantajosos do que os impostos que seriam pagos em cima de uma repatriação do mesmo montante.

Publicidade

Se o governo americano já estava de olho nesse dinheiro estrangeiro da Apple, depois desse movimento então, a coisa piorou. Tim Cook viajará para Washington a fim de bater um papo com senadores sobre essa grana toda que está fora do território americano.

Tim Cook, CEO da Apple

Não é novidade para ninguém que Cook é uma pessoa muito mais política que Steve Jobs — ele mesmo já deixou isso claro em visitas passadas à capital. Agora, de acordo com uma entrevista para o site POLITICO.com, o atual CEO da Maçã deixou claro que apresentará suas ideias ao Congresso para uma possível reforma tributária, algo que as empresas de tecnologia já almejam há um tempo.

Publicidade

Esse papo não é de hoje, só que agora parece que está chegando ao limite, já que empresas como Apple utilizam diversas artimanhas — legais, é bom deixar claro — para pagar menos impostos e, consequentemente, gastar menos dinheiro.

Nós não temos uma grande presença em Washington, como você provavelmente sabe, mas nós nos preocupamos profundamente com as políticas públicas e acreditamos que a criatividade na política pode ser um grande catalisador para uma sociedade melhor e uma economia mais forte. Eu posso dizer, de forma inequívoca, que a Apple não canaliza seus lucros domésticos no exterior. Nós não fazemos isso. Pagamos impostos sobre todos os produtos que vendemos nos EUA, e nós pagamos cada dólar que devemos. Eu gostaria de ser muito claro sobre isso.

A Apple está contribuindo em um monte de maneiras diferentes para a economia, e estamos muito, muito orgulhosos disso, particularmente da área de criação de empregos e do trabalho que fazemos para proteger o nosso meio ambiente.

Tim Cook, CEO da Apple.

Para muitos, como o lobista veterano Bruce Mehlman, o sistema está de fato ultrapassado e precisa de uma reforma. E por falar em lóbi, as coisas estão mesmo mudando na Apple. Se antes, sob o comando de Jobs, a companhia gastava muito pouco com essa prática, agora isso está mudando. Somente neste primeiro trimestre de 2013, a firma de Cupertino investiu US$720 mil em lóbi, quase metade do valor gasto durante todo o ano de 2012.

Washington

Publicidade

Por outro lado, mais do que nunca a Apple precisa de um contato maior com Washington, já que está enfrentando o próprio governo num processo no qual ela é acusada de cartel em ebooks, críticas pesadas sobre manter sua linha de produção na China (em vez de aumentar a oferta de empregos nos EUA) e, é claro, a questão do dinheiro fora do país. Me arrisco a dizer que, mesmo sob o comando de Jobs, uma pessoa que abertamente era contra esse tipo de “aproximação”, a Apple teria que dar esse passo mais cedo ou mais tarde. A companhia está cada vez maior e, com isso, todos passam a olhar para ela. Jobs mesmo é figurinha carimbada nesse processo envolvendo manipulação de preços em ebooks e, se ainda estivesse entre nós, provavelmente teria que enfrentar o governo.

Em outra entrevista semelhante ao The Washington Post, Cook disse: “Se você olha para como as coisas funcionam hoje, para repatriar dinheiro para os EUA, você precisa pagar 35% do montante. E isso é um número muito alto. Não estamos propondo que ele seja zero. Sei que muitos de nossos colegas acreditam nisso. Mas eu não vejo assim. Contudo, acho que tem que ser razoável.”

Mas não pense você que a Maçã não tem suas cartas na manga para esse bate-papo. A empresa tem planos de levar a produção de Macs para os EUA e, mesmo com essa grana toda fora do país, ela é uma das que mais paga impostos — em 2012 foram US$6 bilhões, valor que deverá chegar a US$7 bilhões em 2013. Além disso, ela já gerou quase 600 mil empregos no país e praticamente criou uma nova economia quando lançou a App Store. Sozinha, ela já pagou US$9 bilhões a desenvolvedores, possibilitando o surgimento de empresas milionárias (como a Rovio).

Publicidade

Cook inclusive deu mais detalhes sobre a fabricação em solo americano, informando que a Apple não só montará Macs como fabricará muitos dos componentes em Estados como Arizona, Texas, Illinois, Flórida e Kentucky — até então, sabíamos apenas da Califórnia.

Acompanhemos o andar dessa história…

[via MacRumors]

Posts relacionados