Além dos recursos já esperados, “iWatch” poderá trazer muitas novidades relacionadas a monitoramento de saúde

Nike+ FuelBand

Muita coisa já foi falada sobre o “iWatch”, suposto relógio/pulseira inteligente da Apple. Hoje, o 9to5Mac trouxe novas informações bem interessantes sobre o projeto como um todo.

Nike+ FuelBand

Bob Mansfield, que quase se aposentou mas voltou atrás, está cuidando de uma nova divisão chamada Tecnologia dentro da Apple. De acordo com a matéria (baseada em declarações de fontes), Mansfield tem trabalhado bastante com produtos relacionados a saúde e, assim como Tim Cook (CEO da Apple), está andando pra lá e pra cá com uma Nike+ FuelBand no pulso. Phil Schiller (vice-presidente sênior de marketing mundial) e sua equipe estariam investigando o mercado de gadgets para vestir — muitos estariam testando produtos, também, como a pulseira Jawbone UP.

Jawbone UP

Segundo o relato, a divisão “iWatch” trabalha em segredo em prédios fora da sede principal da Apple, em Cupertino (Califórnia). Além de Mansfield, Kevin Lynch (ex-Adobe e recém-contratado) e James Foster (diretor sênior de hardware) são os executivos à frente do projeto. Enquanto Lynch estaria focado na visão para o software, Foster estaria selecionado as tecnologias e os mecanismos que farão parte do aparelho. Além dos grupos liderados por esses executivos, os comandados de Dan Riccio (vice-presidente sênior de engenharia de hardware), Jony Ive (vice-presidente sênior de design) e Craig Federighi (vice-presidente sênior de engenharia de software) também estão colaborando para a criação do produto, é claro.

De acordo com uma fonte da Adobe, Lynch (e sua equipe, formada por designers que trabalhavam anteriormente com software e hardware de iPods) estaria bem animado com o novo projeto. Já o grupo de Foster é formado basicamente por pessoas que participaram da criação do primeiro iPhone (que entendem bem de miniaturização), especialistas em bateria (engenheiros de Mac, que trabalham com o MacBook Air), entre outros. Pessoas que vieram com a aquisição da AuthenTec também estão envolvidas no projeto, ainda que um sensor de impressão digital só esteja presente em futuras gerações, já que a tecnologia para isso ainda precisa evoluir.

Muita, muita gente nova estaria sendo contratada, principalmente especialistas em sensores, cientistas e pessoas ligadas à medicina. Com base nessas contratações, a Apple estaria interessada na habilidade de monitorarmos o sangue (como níveis de glicose, por exemplo) e outras informações do nosso corpo de forma não-invasiva — tudo através do contato de sensores com a pele.

Ueyn Block, ex-diretor de óptica e engenharia de sistemas da C8 MediSensors, está trabalhando agora para a Maçã, assim como Todd Whitehurst, ex-vice-presidente de desenvolvimento de produtos da Senseonics, outra empresa focada em sensores para monitoramento de substâncias humanas. Jay Blahnik, educador e consultor na área de fitness (que trabalhou com a Nike para o lançamento da plataforma Nike+ e de outros apps ligados a exercício físico da empresa), também está envolvido como o projeto. E não podemos esquecer que a Apple contratou Paul Deneve, ex-CEO da Saint Laurent, para trabalhar como vice-presidente em projetos especiais.

Amigos, vem coisa boa por aí! Resta saber quando. 😛

Posts relacionados