Referências no iOS 7 indicam que Apple está preparando iPads mini com processador A6, porém sem tela Retina [atualizado]

Referência a um iPad mini sem tela Retina, equipado com A6

Um desenvolvedor achou referências de iPads mini com processador A6 — o atual utiliza o chip A5 — e *sem* tela Retina no SDK (software development kit, ou kit de desenvolvimento de software) do iOS 7, as quais estão listadas dentro de um arquivo escondido que contém todos os aparelhos suportados pelo sistema operacional móvel da Apple.

Seriam três novos modelos: iPad2,8 (J75), iPad2,9 (J76) e iPad2,10 (J77) — para quem não sabe, os três modelos de iPads mini atuais (Wi-Fi, Wi-Fi + Cellular da AT&T e Wi-Fi + Cellular da Verizon) são referenciados respectivamente como iPad2,5, iPad2,6 e iPad2,7.

Referência a um iPad mini sem tela Retina, equipado com A6

Todos eles seriam equipados com o processador s5l8950x, que atualmente está presente no iPhone 5. Contudo, referências a @2x (uma especificação criada pela Apple para diferenciar gráficos “normais” de Retina) não estão presentes nesses aparelhos, o que nos faz imaginar que a tela deles continuará a mesma de hoje.

Alguns rumores indicam que a Apple poderá lançar iPads mini com tela Retina apenas em 2014. Independentemente do momento exato que a companhia introduzirá esses minis com telas de alta resolução, acredito cada vez mais na ideia de que, num futuro não muito distante, teremos “quatro categorias” de iPads:

  1. iPad mini *sem* tela Retina (Wi-Fi e Wi-Fi + Cellular), com apenas 16GB.
  2. iPad mini *com* tela Retina (Wi-Fi e Wi-Fi + Cellular), com opções de 32GB, 64GB e 128GB.
  3. iPad *sem* tela Retina (Wi-Fi e Wi-Fi + Cellular), com apenas 16GB.
  4. iPad *com* tela Retina (Wi-Fi e Wi-Fi + Cellular), com opções de 32GB, 64GB e 128GB.

Ou seja, quem não quiser pagar tanto assim para ter um iPad, poderá comprar um aparelho sem tela Retina de “apenas” 16GB — hoje, o iPad 2 (que não tem tela Retina) ainda está à venda, mas isso não ficará assim por muito tempo.

É como se a Apple quisesse criar um categoria “de baixo custo” dentro de toda a sua linha atual de produtos “móveis”. No caso de Macs, por exemplo, temos o MacBook Air (sem tela Retina) como o computador/notebook de entrada no mundo da Maçã, enquanto que no iPhone a tendência é termos o “iPhone 5S” (topo-de-linha) e o “iPhone 5C” (com tela Retina, sim, porém com outros detalhes que farão seu preço ser inferior ao do modelo 5S). Vale lembrar também do iPod touch de 16GB, que possui tela Retina mas tem apenas uma cor disponível e não conta com câmera traseira nem “loop” — por isso, pode ser considerado o modelo “de baixo custo”/de entrada dos touches.

O que eu quero dizer com isso? Que, independentemente se o recurso escolhido for a tela Retina (iPad), a câmera traseira (iPod) ou a carcaça de plástico (iPhone), a Apple parece indicar que cada um de seus produtos terá uma “versão mais em conta”, sem que o diferencial seja apenas a capacidade de armazenamento.

[via 9to5Mac]

Atualização · 31/07/2013 às 18:59

O desenvolvedor Nick Frey, responsável pela descoberta acima, continua fuçando os códigos do iOS 7 em busca de novidades. Ele descobriu também que o próximo iPhone virá com o processador A7 — o código do chip (s5l8960x) nos indica isso, veja só:

  • s5l8950x = A6
  • s5l8955x = A6X

Até aí nenhuma novidade, já que isso era mais do que esperado. A “surpresa” fica por conta da informação de que os chips são produzidos pela Samsung, e não pela Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), que teria firmado um acordo com a Maçã recentemente.

Na verdade, isso também não chega a ser uma surpresa. Por mais que a Apple queira se livrar da Samsung, isso não acontecerá do dia para a noite. Além disso, se todas essas informações estiverem mesmo corretas (quanto à troca da Samsung pela TSMC), enquanto a taiwanesa não conseguir provar que dará conta do recado a Apple está mais do que certa de manter a sul-coreana na jogada.

[via 9to5Mac]

Posts relacionados