Atenção: cuidado com o local onde você deixa o seu iGadget recarregando

iPhone 5 após pegar fogo

Recentemente. um caso bem peculiar na China chamou a atenção do mundo inteiro, quando um mulher morreu ao atender seu iPhone enquanto ele carregava. O caso, seguido de outro que deixou a vítima em coma, incentivou a Apple a criar até mesmo um programa internacional de troca de carregadores, já que investigações preliminares indicam que a causa de ambas as tragédias foi o uso de acessórios falsificados.

O caso que irei contar hoje é um pouco parecido, mas desta vez (ainda bem) ninguém morreu; o único dano físico foram uns três dedos queimados. Na noite de ontem (segunda-feira, 12/8) deixei o meu iPhone carregando enquanto preparava minhas coisas para ir dormir. No curto intervalo que saí do quarto e voltei, para minha total surpresa, foi tempo suficiente para o meu iPhone entrar em curto e começar a pegar fogo em cima da minha cama.

iPhone 5 após pegar fogo

Durante alguns segundos fiquei paralisado, pois nunca imaginei que um aparelho de notória qualidade, ligado à tomada pelo carregador original, poderia entrar em combustão. Minha primeira reação idiota natural foi tentar desconectá-lo, e tudo que eu consegui foi uma queimadura nos dedos ao tocar no conector Lightning, o qual já estava extremamente quente e mole. Nesse cenário, a única coisa que eu pude imaginar fazer foi desligar a chave geral da casa, aguardar uns minutos e tirar o aparelho da tomada. Quando reacendi a luz, outra surpresa: o cabo, os fones, o iPhone… todos com sinais claros de combustão, derretidos e chamuscados — agora imagina se eu estivesse de fato falando ao telefone?

iPhone 5 após pegar fogoiPhone 5 após pegar fogo

Quando parei para pensar com calma sobre os fatores que poderiam ter levado ao ocorrido, diversas hipóteses vieram à minha cabeça: pico de energia, mal contato, umidade… mas quando percebi que estava usando o carregador de 10W pareceu certo que este poderia ter sido o problema: recarregar o iPhone com o adaptador de força do iPad. Mas essa possibilidade foi logo descartada ao entrar na loja da Apple, e ver que sim, todos os carregadores (5W, 10W e 12W) são compatíveis com qualquer iGadget — o que foi um alívio, já que, se fosse esse o problema, o caso poderia entrar na lista de “danos causados por mal uso”, e aí eu não teria como fazer a troca.

Na manhã de hoje (13/8), minha primeira tarefa foi levar o iPhone até a assistência técnica mais próxima — no caso a Maccentris, aqui em Niterói (RJ). Assim que cheguei lá o atendente já me informou que, se nenhum sensor de umidade estivesse acionado, o aparelho e todos os periféricos prejudicados seriam trocados, e assim foi feito. Mas é claro que, como bom heavy-user que sou, não poderia deixar o lugar sem saber o que aconteceu, o porquê de um iPhone quase incendiar a minha casa.

O técnico presente me explicou:

Uma das razões pelas quais a Apple usa alumínio em iPods, Macs, iPads e iPhones é que ele é um material com calor específico muito baixo, que não retém calor; quando você coloca ele sobre uma superfície que não permita que esse calor se dissipe (ou que preserve a energia), o iPhone não consegue se resfriar adequadamente [durante a carga], e o derretimento básico de um dos componentes levou ao curto. A mesma coisa acontece para quem usa o aparelho durante a recarga, sobrecarregando o dispositivo, e, por estar em contato com a mão, além de poder impedir a saída e a entrada de ar, prejudica também a dissipação térmica.

Que fique como ensinamento: todo aparelho aquece durante a carga (comportamento normal), logo não utilize-o durante, nem tanto deixe-o em lugares quentes ou que possam impedir a entrada/saída de ar, ou a dissipação do calor. Mesmo nós, que fazemos questão de usar tudo original para, em teoria, não passar por esse tipo de problema, também estamos sujeitos a riscos.

Ainda me pergunto o que teria acontecido com a minha cama (ou até o meu quarto todo) se eu não tivesse visto isso a tempo… :-S

Posts relacionados

Comentários