WSJ e Bloomberg afirmam que Apple e China Mobile teriam chegado a um acordo

Logo da China Mobile

Nós já informamos que, além de um evento nos Estados Unidos (no dia 10 de setembro), a Apple fará também eventos satélites na China, no Japão e na Alemanha. Uma das teorias para que esses eventos aconteçam em tais países é que a Apple poderia usar os espaços para anunciar importantes acordos locais — no caso de China e Japão, novos acordos com as duas maiores operadoras de cada país (China Mobile e NTT DoCoMo); no caso da Alemanha, o suporte a redes LTE+ da Deutsche Telekom.

Publicidade

Logo da China Mobile

Hoje, o Wall Street Journal colocou mais lenha na fogueira, afirmando que a Apple pediu para que a Foxconn (parceira na produção/montagem de iProducts) incluísse a China Mobile na lista de operadoras a receber novas mercadorias (de iPhones). Levando isso em consideração, podemos concluir que um acordo finalmente foi fechado entre as empresas. O curioso, porém, é que o WSJ fala apenas no “iPhone 5C” (aka “iPhone de baixo custo”) — ainda que não exista uma data para que o aparelho seja comercializado por lá — e não menciona nada sobre a possibilidade de a maior operadora da China vender também o aparelho topo-de-linha (o “iPhone 5S”).

A Bloomberg, por outro lado, também noticiou que a Apple chegou a um acordo com a China Mobile, mas que nada disso seria comentado durante o evento do dia 10 de setembro. O veículo, contudo, não especifica nada sobre a operadora vender apenas o modelo de baixo custo por lá.

Publicidade

Até onde sabemos, as operadoras parceiras da Apple vendem todas as gerações de iPhones disponíveis no mercado — se em algo caso isso não acontece, é por limitação técnica. Se a China Mobile oferecer apenas o “iPhone 5C”, seria a primeira vez que isso aconteceria. Todavia, a maior telecom do mundo utiliza a tecnologia TD-SCDMA, a qual *não* é suportada por nenhum iPhone. A Apple poderia muito bem implementar o suporte a essa tecnologia apenas no “iPhone 5C”, o que explicaria a disponibilidade apenas desta versão na operadora. Contudo, levando em conta que o “iPhone 5C” será um aparelho mais em conta, com uma tecnologia inferior à do “iPhone 5S”, não haveria muita dificuldade para a Maçã construir um “iPhone 5S” global, suportando também essa tecnologia.

A única coisa que na minha visão não faz muito sentido — e que alguns leitores acreditam ser possível — é a ideia de o “iPhone 5C” ser um produto exclusivo para a China. Ela poderia até criar uma versão específica do “iPhone 5C” para a China Mobile, assim como existem dois diferentes modelos de iPhone 5 (A1428 GSM, A1429 CDMA/GSM — cada um suportando redes/frequências diferentes). Agora, limitar o “iPhone 5C” à China seria privar outras nações de ter acesso a um produto interessante, que com toda certeza será alvo de vários consumidores — não apenas de chineses. Tal ato seria de uma segmentação, uma espécie de “bairrismo” nunca antes visto.

Muitas perguntas ainda estão sem respostas, mas saberemos de tudo isso em detalhes no dia 10/9 — com a cobertura completa do MacMagazine, é claro!

[via 9to5Mac]

Posts relacionados