Evento especial: Phil Schiller apresenta ao mundo os iPhones 5c e 5s

Cores dos iPhones 5c

No meio da keynote as atenções se voltaram ao iPhone e Phil Schiller foi convidado ao palco para tratar das novidades do smartphone da Apple.

Cores dos iPhones 5c

A primeira delas: o iPhone 5c! Segundo Schiller ele terá a mesma tecnologia do iPhone 5, mas será “mais divertido e colorido”. As cores são aquelas mesmo que já vimos em vazamentos recentes: verde-lima, branco, azul, amarelho e rosa avermelhado. Tudo feito de policarbonato, com corpo unibody (peça única). Por dentro, temos uma estrutura de alumínio que serve inclusive como antena para o telefone. Para acompanhar, uma case de borracha siliconada foi criada para acompanhar os novos aparelhos.

iPhones 5c com cases

O processador do iPhone 5c é o A6, como o do iPhone 5. Mas ele vem com uma bateria de maior capacidade. A câmera traseira (iSight) tem 8 megapixels e a frontal (FaceTme HD) foi aprimorada. Para completar temos Bluetooth 4.0 e Wi-Fi 802.11a/b/g/n a 2,4GHz e 5GHz. Como esperado, o suporte a redes 4G (LTE) foi ampliado, suportando mais bandas do que qualquer outro aparelho do planeta (veremos se a banda brasileira entra nessa). Nos Estados Unidos, o aparelho custará US$100 (16GB) e US$200 (32GB) quando atrelado a contratos de 2 anos. Já as cases custarão US$30 cada.

Agora vamos à estrela principal, o iPhone 5s!

Cores dos iPhones 5s

Segundo Schiller, ele talvez seja “o aparelho mais visando ao futuro que alguém já fez”. Serão três cores, no total: preto, dourado e prata, sendo a versão prata chamada de Space Gray, mais puxado para o grafite — conforme vimos em rumores recentes.

O aparelho é muito parecido com o iPhone 5, feito inteiramente de alumínio de alta qualidade, com bordas chanfradas. Na parte traseira temos um flash LED duplo e na frente temos o novo visual do botão Home com um anel em volta.

Botão Home do iPhone 5s

No interior ele vem com o novo system-on-a-chip (SoC) A7 da Apple, o qual é de 64 bits — o primeiro do gênero para um smartphone. Para termos uma ideia, são mais de 1 bilhão de transistores no processador, com 102 milímetros quadrados — e, para tirar proveito disso, todo o iOS 7 foi preparado para rodar nessa nova arquitetura.

Ele traz um kernel de 64 bits mas também roda apps de 32 bits; os da Apple e o sistema já estão prontos para 64 bits. De acordo com Schiller, essa transição para desenvolvedores será bem simples. “Mas o que isso representa em performance?”, você deve estar se perguntando. Bem, para a CPU, a performance é 40 vezes maior que a do iPhone original; no geral, as coisas devem ser 2 vezes superiores. Gráficos também recebendo boas novidades, incluindo OpenGL|ES 3.0.

Para testar todo esse poder, Donald Mustard (cofundador da Epic Games) subiu ao palco para demonstrar o jogo Infinity Blade III, que contará com até 8 mundos, jogáveis com 2 personagens. No iPhone 5s, o jogo roda 5 vezes mais rápido do que no iPhone 5 — e para mostrar como as coisas deverão ser simples para desenvolvedores, com as ferramentas da Apple (Xcode), o pessoal da Epic Games conseguiu converter o jogo para 64 bits em cerca de 2 horas apenas.

Voltando ao A7, ele vem com um novo componente chamado M7, um processador exclusivamente dedicado a movimentos — e isso permitirá uma geração totalmente nova, por exemplo, de apps de saúde/exercícios, já que ele permitirá indicar a apps se a pessoa está parada, andando, dirigindo, etc. A Nike, parceira da Maçã de longa data, é a primeira a trazer um app que explora essas novidades, com o Nike+ Move.

A bateria do iPhone 5s aguentará, em 3G, 10 horas de conversação e 8 horas de navegação; já via LTE, 10 horas de navegação; por Wi-Fi, 10 horas de navegação. Além disso, temos 10 horas de vídeo, 40 horas de música e 250 horas em modo de espera (standby).

Câmera do iPhone 5S

A nova câmera traz um novo sistema com cinco elementos e abertura f/2.2. A área ativa do sensor é 15% maior, ótimo para uma melhor captação de luz. Os pixels em si têm 1,5 microns — aumentando o tamanho deles, temos qualidade de imagem melhores — e ele é capaz de fazer mapas de tom automática e dinamicamente em cada imagem, definindo balanço de branco, exposição, entre outras coisas. Resumindo: o aparelho tira múltiplas fotos de vez, seleciona a melhor e aí mostra para o usuário. Tudo em uma fração de segundo — e envolvendo até mesmo a temperatura ambiente e a nitidez da imagem, é claro.

Comparativo de fotos com flash

Os dois novos flashes LED são independentes: um é mais frio, branco; o outro é mais quente, amarelo. Com isso, a Apple consegue combinar a iluminação emitida por ambos os flashes a fim de ter uma foto com um resultado bem natural e equilibrado. São mais de 1.000 variações únicas de tons.

Modo "burst" do iPhone 5s

O aparelho também faz estabilização automática/digital de imagens e conta com um novo modo burst, o qual tira 10 quadros por segundo — você pode escolher a melhor foto ou deixar o sistema fazer isso por você. Além disso, o iPhone 5s também suporta, como esperado, filmagens em câmera lenta (Slo-Mo) com 120 quadros por segundo — esses vídeos são capturados em HD 720p.

Mas a grande novidade mesmo do iPhone 5s tem a ver com segurança. Schiller recapitulou como criamos senhas hoje em dia e as várias outras formas de segurança, como chaves e cadeados. Segundo a Apple, metade dos usuários de smartphones não gostam e não usam senhas em seus aparelhos por acharem chato ou complicado. Para resolver isso, a empresa criou o Touch ID.

Botão Home do iPhone 5s

Trata-se de uma “chave” que está sempre com o usuário: as impressões digitais. O sensor tem 170 microns de espessura, resolução de 500ppi e faz leitura dos dedos com 360 graus — e sim, ele fica no botão Home. Ele digitaliza até mesmo camadas da pele abaixo da epiderme e a leitura pode ser feita em qualquer orientação.

O anel em volta do botão é feito de aço inoxidável e faz parte do processo de detecção dos dedos. Basta tocar no botão Home para desbloquear o iPhone, mas você também poderá usar sua digital para, por exemplo, autenticar a compra de apps. O anel do botão segue a cor do iPhone, então o da versão dourado é… dourado. 😛

iPhone 5s dourado/ouro

O usuário poderá configurar, se quiser, múltiplas impressões digitais e a leitura do toque dos dedos é capacitiva. O cristal de safira basicamente atua como uma lente que “tira uma foto” da sua digital a analisa para permitir o acesso, tudo instantaneamente. Um dado importante: as impressões *nunca* são enviadas para os servidores da Apple e nem armazenadas no iCloud, visando à privacidade de todos. Mais uma vez, a Apple quer colocar uma tecnologia super-avançada no produto ao mesmo tempo em que não complica a vida dos usuários. 🙂

Vamos aos preços nos Estados Unidos: iPhone 5s de 16GB a US$200, 32GB a US$300 e 64GB a US$400 — com contratos de dois anos, como sempre. Surpreendentemente, a Apple manterá o iPhone 4s (8GB) na linha — lá fora ele sairá de graça num contrato de dois anos, também.

Cases dos iPhones 5s

Novas cases para o iPhone 5s também foram criadas. Elas custam US$40 cada e serão oferecidas em várias cores — inclusive uma vermelha, dentro do programa (PRODUCT) RED.

A pré-compra dos iPhones 5c começará nesta sexta-feira, 13 de setembro. Uma semana depois no dia 20, eles chegarão junto aos iPhones 5s a EUA, Austrália, Canadá, China, França, Alemanha, Japão, Singapura e Reino Unido — é a primeira vez que um iPhone chega logo de primeira à China, por sinal. Até o final do ano, os aparelhos chegarão a 100 países e 270 operadoras — vamos torcer para o Brasil estar em uma dessas levas. No Japão, como esperado, a Apple confirmou o acordo com a operadora NTT DoCoMo. Nada foi falado sobre China Mobile ainda, porém.

E assim terminou mais um evento da Apple, com um show musical do artista Elvis Costello.

Posts relacionados

Comentários