Apple estaria investindo pesado em novas máquinas e processos de produção

Dólares

Recentemente nós informamos que, em 2014, a Apple planeja investir US$11 bilhões em despesas de capital.

Dólares

Notas de cem dólares via Shutterstock.

No post sobre o assunto, eu escrevi:

Muita coisa pode ser listada como despesas de capital: novas lojas, reformas, compra de novos espaços, aquisição de máquinas de produção, entre outras muitas coisas. Para novas lojas/reformas, a Apple planeja gastar US$550 milhões desses US$11 bilhões. O resto se encaixa nessas outras categorias. Temos que levar em consideração que um novo campus será construído em Cupertino, além de outros prédios espalhados pelos Estados Unidos e data centers que também entram nessa conta.

Mas eu quero pensar que boa parte desse dinheiro será investido em novos processos de fabricação, como esses que vimos num vídeo falando sobre o novo Mac Pro e como a Maçã teve que repensar toda a produção para conseguir criar um produto desses. Levando em consideração que novos produtos — de novas categorias nas quais a Apple ainda não participa hoje — poderão chegar em 2014, a coisa faz muito sentido.

Nesta semana, a Bloomberg trouxe mais detalhes sobre esses investimentos da Apple. De acordo com eles, boa parte desse montante será investida em robôs de montagem de máquinas para fresagem. Coloque nesse bolo equipamentos para polir as carcaças coloridas dos iPhones 5s, máquinas a laser para esculpir os corpos de alumínio de MacBooks, máquinas de testes para as lentes das câmeras de iPhones e iPads, entre outros.

Vídeo de introdução do iPhone 5c, o qual mostra detalhes da produção do aparelho.

Muthuraman Ramasamy, analista da Frost & Sullivan, que vem estudando o uso dessas máquinas, disse que os projetos da Apple são tão únicos que eles mesmos precisam criar seus próprios processos de fabricação. Ainda de acordo com a reportagem, tudo começa com a equipe de design de Jony Ive (chefão de design da Apple), que tem as ideias para um novo produto e trabalha em conjunto a equipe de engenharia para desenvolver métodos de larga escala para a construção desses aparelhos.

Alguns membros da equipe de engenharia passam semanas nas fábricas chinesas se certificando de que os equipamentos comprados ou criados estejam funcionando perfeitamente. Segundo Cormac Eubanks, diretor de desenvolvimento de produto da Frog Design, esse tipo de comportamento é bem diferente do tradicional da indústria, que normalmente contrata alguma empresa para lidar com essa fase de “resolução de problemas para produzir algo em larga escala”. Eubanks afirma que “a maioria das empresas contrata uma firma de design para criar uma renderização de um produto e manda tudo para a China, onde engenheiros chineses fazem o trabalho detalhado de engenharia”. Ainda segundo Eubanks, “o que a Apple faz é difícil e leva muito tempo e dinheiro”.

E isso não é de hoje. Em 2010, a Apple precisava de um aparelho para se certificar de que o giroscópio do iPhone 4 (responsável pela captação de movimentos) estava funcionando perfeitamente, afinal, o recurso seria amplamente utilizado por desenvolvedores em jogos e outros apps. Esse equipamento não existia, então a Apple foi lá e criou, colocando as tais máquinas nas linhas de produção de suas parceiras na China.

Vídeo de apresentação do Mac Pro, o qual mostra detalhes da produção do computador.

Para o novo design do iMac, lançado pela empresa em 2012, a Apple conseguiu fazer tudo tão fino graças a uma nova técnica de produção de laminação do display, que junta tela e vidro num mesmo processo. A Maçã também criou um método para colocar um revestimento antireflexo nos Macs adicionando uma carga elétrica na tela, fazendo essas partículas antireflexo se fixarem no display.

Há pouco tempo também informamos que a Apple fechou um acordo com a GT Advanced Technologies para a produção de vidro de safira, algo que também segue exatamente essa linha de racioníno (criação de novas tecnologias para serem utilizadas em iProducts).

Como eu disse, espero que muitos desses novos processos tenham relação com atuais e futuros produtos, afinal, muita gente está doida para ver a Apple dando uma chacoalhada em novos mercados, como o de gadgets que podemos vestir (wearable devices) e o de televisores.

[via 9to5Mac]

Posts relacionados