Appreendedor: estudando o caso do jogo Flappy Bird

Ícone - Flappy Bird

Ícone - Flappy BirdDecidi escrever sobre o jogo Flappy Bird em virtude da sua rápida história de “sucesso” e “declínio” — um ótimo exemplo para entendermos alguns aspectos relacionados ao mundo dos apps e continuarmos o assunto iniciado na semana anterior sobre gameficação. Essa é a história de Dong Nguyen um jovem vietnamita desenvolvedor de jogos que, através do Twitter, contou indiretamente detalhes sobre o segredo do sucesso.

Primeiramente está evidente que esse rapaz possui um porquê bem definido: acredita e faz acontecer. Ele faz parte de uma cultura que existe há muito tempo mas que ganhou força nos últimos anos, chamada indie games, um estilo de vida aliado à arte e ao amor por fazer jogos independentes.

Influenciado por Jetpack Joyride, ele pôde validar a aceitação dos usuários por jogos infinitos e a experiência de games que seguem o estilo lendário e clássico de Scramble. Pesquisas podem ser feitas simplesmente a partir de casos existentes, mesmo que o aprendizado seja: não faça dessa forma! Seguir apenas a intuição pode ser um tiro no escuro.

Outro fator importante que devemos considerar é: o sucesso não acontece da noite para o dia. O jovem nos conta em setembro de 2012 que, já naquela época, desenvolvia jogos há quatro anos. Certamente teve diversos momentos de insucesso e aprendizado até chegar ao topo, mas o importante foi a determinação em continuar e não desistir.

Embora questionável, ele deixa claro em vários tweets a sua forte tendência em copiar o que é sucesso. Observando o jogo Flappy Bird percebemos que *todos* os elementos, padrões e recursos foram extraídos de jogos já existentes. Vamos à fórmula:

Helicopter Game

Pegue um jogo chamado Helicopter Game (lançado em 2005) e descubra o quanto ele é viciante. Entretanto, você não pode descaradamente copiar o helicóptero e os blocos; que tal usar algo que foi inspirador para a formação da nova geração dos indies games?

Céu azul, fundo estático e formado por pixels, canos verdes, passarinho inspirado no “cheep cheep” (dando continuidade à série de pássaros heróis) e, para finalizar, a recompensa de algo agradável ao recordar o som em coletar a moedinha do… isso, Mario Bros.

Deixe tudo muito simples e objetivo, afinal, a grande maioria dos usuários não estão afim de “aprender” para depois jogar. Coloque uma pitada de competição, permitindo que jogadores possam publicar seus recordes e competir com os amigos.

Não se esqueça de blefar, afinal uma hora o jogador precisa ser superado pelo jogo e motivado a ir além. Dê uma acelerada no jogo ou aumente os pixels dos canos de forma imperceptível para que o jogador tenha que calcular rapidamente um novo ângulo — tempo não será suficiente e ele conhecerá o segredo do: “você falhou, tente novamente”.

Agora, você precisa de um nome para o jogo. Algo fácil e que cole na cabeça das pessoas. Que tal Flap Flap? Parecido com “tap tap”, não é mesmo? Sim, esse foi o primeiro nome dado ao jogo Flappy Bird, entretanto o nome já existia, fazendo com que o autor mudasse-o logo em seguida.

Publique o app em maio de 2013, não invista em anúncios, marketing, parcerias… simplesmente acredite que ele será o próximo sucesso da App Store. O que acontecerá? Você sentirá o gosto amargo do insucesso.

Essa foi a fórmula utilizada, porém ele precisava de um “empurrãozinho”. Em novembro de 2013, os downloads disparam de forma incrível e em menos de dois meses Flappy Bird estava no topo da lista dos jogos mais baixados na App Store, superando posições de Candy Crush Saga e Angry Birds. Dong Nguyen disse ser “sorte”, mas sabemos que existe um comércio ilegal no submundo disposto a negociar downloads, comentários positivos e estrelas de forma automatizada e em escalas que elevarão o seu app às melhores posições da lista — com isso o app estará melhor visualizado e pronto para ser avaliado por um público maior.

O fato é que, sendo o centro das atenções, provavelmente Nguyen tenha recebido propostas e ameaças de grandes companhias. Com outros dois jogos que possuem a mesma jogabilidade subindo para o topo da lista, não custava nada ele tirar Flappy Bird da loja, continuar recebendo com a anúncios exibidos nos aparelhos de quem já baixou o app e ganhar uma mídia espontânea/gratuita com a retirada “insana” de um jogo de sucesso. Ele evita conflitos judiciais e, quem sabe, esconde algo sujo que pudesse ser desvendado.

Essa conversa de cansado pelo sucesso “é conversa para boi dormir”. Se fosse assim, por que ele não tira os outros dois games que estão subindo em posições e logo alcançarão status semelhante ao de Flappy Bird? De bobinho, Nguyen não tem é nada! 😉

·   ·   ·

Você está gostando da série Appreendedor e quer conhecer mais sobre o assunto? Hoje, 11 de fevereiro, estarei em Brasília ministrando uma palestra sobre apps e empreendedorismo. Se você é o tipo de pessoa que gosta de criar, inovar e tem muitas ideias legais para colocar em prática, essa palestra é para você! Mais informações aqui — inscrições limitadas!

Posts relacionados

Comentários