Documentos mostram que Samsung mascarou números de vendas do Galaxy Tab em 2011

Tablet - Samsung Galaxy Tab 2 (10.1)

Em janeiro de 2011, uma pesquisa da Strategy Analytics marcou o que podemos chamar de o início da virada do Android para cima do iOS no mercado de tablets.

Publicidade

Tablet - Samsung Galaxy Tab 2 (10.1)

Até então o iPad tinha nada mais nada menos do que 96% de market share. Mas segundo a firma de pesquisas (baseada em números divulgados pela própria Samsung), as ótimas vendas do Galaxy Tab (2 milhões de unidades em seis semanas) impulsionaram o crescimento do Android no segmento, pulando de um market share de 2,3% para 22% — consequentemente, o iPad caiu de 96% para 75%.

Pouco depois o Wall Street Journal entrou na parada, afirmando que as vendas do tablet da Samsung para consumidores foram na verdade bem baixas, e os excelentes números apresentados eram, na verdade, carregamentos para operadoras e revendas. Ou seja, aquela velha estratégia de maquiar os números para sair bem na foto.

Publicidade

Pois agora, devido à batalha judicial que a Samsung está travando com a Apple no tribunal californiano, alguns documentos internos da sul-coreana comprovaram a farsa, conforme notou o Fortune Tech:

Nesta semana, graças a um documento interno da Samsung de fevereiro 2012 — com a marca “top secret” — desenterrado pela Apple como parte de seus processos por infração de patentes, ficamos sabendo que estávamos no caminho certo e que essas agências de notícias mais crédulas estavam erradas.

A Strategy Analytics disse ao mundo que a Samsung vendeu 2 milhões de Galaxy Tabs em seis semanas, mas a verdade foi que demorou 2011 inteiro para que a Samsung vendesse metade dessa quantidade.

Vendas do Galaxy Tab em 2011

Parece piada, mas não é. É manipulação de dados, mesmo.

Posts relacionados