Microsoft lança Surface Pro 3 e quer acabar com o reinado da dupla iPad + MacBook Air

Surface Pro 3

Hoje, em Nova York, a Microsoft realizou um evento para apresentar o Surface Pro 3.

Surface Pro 3

O novo tablet da empresa chega ao mercado menos de um ano depois do lançamento do Surface Pro 2 — o qual foi analisado por nós pela visão de um usuário de iPad e MacBook Air de 11″. E por falar em usuário de iPad e MacBook Air, esse parece ser exatamente o tipo de consumidor que a Microsoft quer para o seu tablet híbrido.

Vamos às especificações: tela de 12 polegadas, resolução de 2160×1440 pixels (na proporção de 3:2 e com suporte a monitores 4K), processadores Intel Core i3/i5/i7, 9,1mm de espessura e 800 gramas. A empresa fez questão de comparar o seu novo produto com os da Apple, afirmando que o novo tablet oferece 6% mais conteúdo na tela do que um MacBook Air de 13 polegadas, sendo mais fino e mais leve.

A nova versão também conta com alto-falantes 45% mais potentes, um novo kickstand que possibilita deixar o Surface em diversos ângulos (e não apenas em dois, como anteriormente), porta USB 3.0, novas Type Covers (capinhas com teclados que agora contam com um trackpad 68% maior e encaixam de forma diferente no Surface, facilitando a digitação quando o aparelho está apoiado no colo), entre outras coisas.

O ponto da Microsoft é: 96% dos usuários de iPads *também* têm um notebook para realizar algumas tarefas que são mais difíceis de serem feitas num tablet. Mas se você tiver um Surface Pro 3, essa necessidade não existirá, já que ele é um produto “completo”.

A Microsoft sempre bateu nessa tecla, mas ao meu ver não há nenhum problema em termos um iPad e um notebook, afinal, cada aparelho tem seus prós e contras. Não existe nenhum produto capaz de preencher todas as necessidades de usuários com um único formato. Pelo contrário! A possibilidade de um produto híbrido assim não ser suficientemente bom para nenhuma tarefa é enorme — aquela velha máxima de que quem quer fazer tudo acaba não fazendo nada direito. Enquanto isso, um iPad é ótimo para determinadas necessidades/ambientes; já um MacBook é matador para outras ocasiões.

Assim como o Surface Pro 3, a Microsoft ainda promove o Windows 8 como um sistema operacional híbrido, que funciona muito bem tanto em computadores quanto em tablets. Pessoalmente, prefiro a estratégia da Apple de “cada um no seu quadrado”, tanto para hardwares (iPads e Macs) quanto para sistemas operacionais (iOS e OS X). E os jornalistas que foram cobrir o evento parecem concordar comigo:

Preferências à parte, eis os preços do Surface Pro 3:

  • Processador Intel Core i3, 64GB de espaço e 4GB de RAM: US$800
  • Processador Intel Core i5, 128GB de espaço e 4GB de RAM: US$1.000
  • Processador Intel Core i5, 256GB de espaço e 8GB de RAM: US$1.300
  • Processador Intel Core i7, 256GB de espaço e 8GB de RAM: US$1.550
  • Processador Intel Core i7, 512GB de espaço e 8GB de RAM: US$1.950

O produto estará disponível amanhã, mas já está em pré-venda.

[via 9to5Mac, TNW]

Posts relacionados