Polêmica: ferramenta promete remover a conta iCloud de aparelhos “bloqueados” pelo Buscar Meu iPhone

Bloqueio de Ativação

Já falamos várias vezes do recurso Bloqueio de Ativação (Activation Lock), que foi lançado com o iOS 7, aqui no MacMagazine. Recentemente, por exemplo, noticiamos que o recurso ajudou a diminuir o roubo de aparelhos em Nova York (EUA), San Francisco (EUA) e Londres (Inglaterra).

Um artigo de suporte da Apple explica bem para que ele serve, veja só:

Com o iOS 7 ou versão posterior, o Buscar Meu iPhone inclui um novo recurso chamado Bloqueio de Ativação, o qual é ativado automaticamente quando você configura o Buscar Meu iPhone. O Bloqueio de Ativação dificulta para que qualquer pessoa utilize ou venda seu iPhone, iPad ou iPod touch em caso de perda ou roubo.

Bloqueio de AtivaçãoA ideia é que o usuário do iPhone em questão precise necessariamente digitar a senha do ID Apple para desativar o Buscar Meu iPhone, finalizar a sessão do iCloud e/ou apagar e reativar o dispositivo, fazendo com que apenas aparelhos devidamente vendidos/repassados (com a autorização do antigo dono) sejam reativados e utilizados por outras pessoas.

Só que nesta semana surgiu uma ferramenta bem polêmica. Lançada pelo grupo ChronicUnlocks, a iCloud Removal Tool (em português, Ferramenta de Remoção do iCloud) simplesmente remove essa trava imposta pela Apple. Para isso, basta que o usuário pague US$150 e aguarde de 3 a 15 dias úteis.

Na página da ferramenta eles dizem que ela é útil para pessoas que esqueceram a sua própria senha do ID Apple ou que compraram um aparelho de alguém que esqueceu de desativar o Buscar Meu iPhone — consequentemente, impossibilitando a reativação do aparelho.

O problema é: essa mesma ferramenta poderia ser utilizada também por uma pessoa mal-intencionada que achar/roubar um iPhone. Afinal, se ela desbloquear o aparelho sem muito esforço, o que impede essas pessoas de começarem a utilizar o serviço para revender aparelhos roubados?

É aí que entra a parte polêmica da história: de acordo com a página, eles deixam claro que *não* removerão a conta iCloud de aparelhos no “Modo Perdido”. Na verdade, o grupo informa que não tem como saber se o iPhone está ou não no “Modo Perdido”, mas que os fornecedores responsáveis pelo serviço têm como ver isso e irão recusar prosseguir com tudo — sem direito a reembolso dos US$150. Mais do que isso: eles informam que irão tentar recuperar o número do dono do iPhone no banco de dados para entrar em contato.

Por mais que o texto passe uma ideia bacana, de que o grupo está trabalhando em prol da comunidade esquecedora de senhas, fica sempre aquela dúvida: será mesmo que eles não vão utilizar essa ferramenta para lucrar, independentemente da origem do iPhone?

Outra coisa que preocupa: se o fornecedor deles consegue apagar uma conta iCloud de um iPhone, ou o sistema iOS tem alguma vulnerabilidade grave que por enquanto está sendo explorada apenas por eles, ou tem alguém de dentro da própria Apple fazendo coisa que não deve e ganhando um trocado por fora. Independentemente da opção, a própria Apple *precisa* resolver isso.

[via The Next Web]

Posts relacionados