Apple abandona o uso de dois químicos perigosos no processo de montagem de iProducts

Trabalhador - Responsabilidade com fornecedores

Lisa Jackson, vice-presidente de iniciativas ambientais da Apple, publicou uma carta no site da empresa falando sobre como a Maçã está combatendo o uso de produtos tóxicos em fábricas de iProducts.

Publicidade

Trabalhador - Responsabilidade com fornecedores

Foco em toxinas: produtos seguros e ambientes de trabalho saudáveis.

Eliminar os riscos decorrentes de substâncias tóxicas nos produtos que usamos sempre foi uma das minhas paixões e hoje é uma das três principais prioridades ambientais aqui na Apple. Nós continuamos a liderar a indústria nesta área com o compromisso de manter a saúde das pessoas e do meio ambiente. É por isso que removemos diversas substâncias nocivas dos nossos produtos e nos esforçamos para que eles permaneçam assim.

Nosso empenho nos levou à criação de materiais mais sustentáveis e produtos ecologicamente corretos, como os fios e cabos sem PVC, telas sem mercúrio e estruturas sem retardadores de chama bromados (BFRs).

Exigimos que os nossos fornecedores sigam as nossas Especificações sobre Substâncias Regulamentadas. Nossos especialistas e laboratórios independentes realizam testes rigorosos para certificar a responsabilidade da nossa cadeia de fornecimento. E hoje, pela primeira vez, estamos divulgando as nossas Especificações sobre Substâncias Regulamentadas [PDF] para o público.

Recentemente nos perguntaram se elementos químicos como o benzeno e o n-hexano são utilizados na fabricação dos nossos produtos. A Apple leva muito a sério qualquer alegação de condição de trabalho perigosa. Tomamos providências imediatas, enviando equipes especializadas para cada uma das nossas 22 unidades de montagem e não encontramos nada que colocasse em risco a saúde dos trabalhadores. Nós atualizamos as nossas restrições severas ao benzeno e n-hexano, deixando clara a proibição do uso dessas substâncias nos processos finais de montagem. Você pode obter mais informações sobre o nosso compromisso com o manuseio seguro de substâncias químicas e tóxicas aqui [PDF].

Nossa história mostra que a indústria de eletrônicos pode usar química verde. Agora é hora de fazer ainda mais, e nós estamos ansiosos para encarar esse desafio.

Investiremos na pesquisa de novos materiais e tecnologias. Criaremos um novo conselho consultivo composto por especialistas em substâncias químicas mais seguras e prevenção à poluição para apoiar nossas iniciativas de minimizar ou mesmo eliminar as toxinas dos nossos produtos e da nossa cadeia de fornecimento. E faremos mesas redondas com conhecedores e interessados no assunto para buscar a melhor ciência, informações e soluções.

Nosso compromisso é remover as toxinas dos nossos produtos e processos. Porque todos têm direito a um produto e a um ambiente de trabalho seguro.

Teste de toxinas em produtos Apple

A decisão de agora chega cinco meses após grupos de ativistas da China Labor Watch e da Green America lançarem uma petição solicitando que a Apple abandonasse o uso do benzeno e do n-hexano na produção de iPhones. De acordo com a Associated Press, porém, os produtos químicos estão proibidos de serem utilizados não apenas na produção final de iPhones mas de todos os iProducts, incluindo iPads, iPods, Macs e diversos acessórios.

Publicidade

O benzeno é uma substância cancerígena que pode causar leucemia se não for tratada adequadamente, enquanto o n-hexano tem sido associado a danos nos nervos. Ambos são frequentemente encontrados em solventes usados ​​para limpar máquinas e eletrônicos.

É bom frisar que a Apple ainda permite o uso dessas substâncias em fábricas responsáveis pelas primeiras fases de produção, que são diferentes das instalações de montagem (produção final, como as 22 citadas por Jackson, incluindo a fábrica da Foxconn em Jundiaí, SP). Ainda assim, a Maçã está reduzindo a quantidade máxima dos produtos químicos durante as primeiras fases de processo.

[via MacRumors]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…