U2 pede desculpas pela forma como seu novo álbum foi distribuído no iTunes

U2

Em uma entrevista realizada pelo Facebook (com perguntas enviadas por fãs da banda U2), Bono Vox pediu desculpas pela forma como aconteceu todo o episódio envolvendo a distribuição gratuita do novo álbum Songs Of Innocence pelo iTunes.

U2

Relembrando: no evento especial realizado em setembro, palco onde foram apresentados os novos iPhones e o Watch, Apple e U2 “firmaram” uma parceria na qual todos os usuários do iTunes receberam, em primeira mão — e de forma gratuita —, o novo trabalho da banda (Songs Of Innocence).

O problema na verdade não foi o presente em si, mas a forma como o álbum foi distribuído. Em vez de simplesmente deixá-lo gratuito na loja por um período determinado (assim todos os interessados poderiam baixá-lo), eles o colocaram na lista de compras de *todos* os clientes da loja de conteúdo da Apple. Ou seja, até quem não gosta da banda “comprou” o álbum sem saber.

Obviamente isso gerou bastante reclamação e a Apple correu para permitir que usuários removessem completamente o álbum de suas contas (caso esse fosse o desejo deles, é claro).

Agora que a poeira abaixou, Bono reconheceu o erro:

A parte que nos interessa começa em 2’19”.

Ops. Desculpe-me por isso.

[…] Houve um medo profundo que essas músicas as quais nós demos as nossas vidas ao longo dos últimos anos não fossem escutadas. Há muito barulho por aí. Eu acho que nós acabamos sendo um pouco barulhentos por conta disso.

Culpando uma queda por algo megalomaníaco misturado com um toque de generosidade e uma pitada de auto-promoção, Bono admitiu que eles provavelmente exageraram quando “empurraram” o álbum goela abaixo de todos os usuários da iTunes Store.

Desculpas aceitas, Bono. 😛

Independentemente do pedido de desculpas, os integrantes da banda não devem estar tristes com o resultado da ação. À Billboard, Eddy Cue (vice-presidente sênior de softwares e serviços para internet da Apple) informou que 26 milhões de pessoas baixaram o álbum, e que 81 milhões o “experimentaram” (ou seja, ouviram ao menos uma música dele, seja pelo iTunes, pelo iTunes Radio ou pelo Beats Music) — um recorde na indústria fonográfica.

[via TechCrunch, 9to5Mac]

Posts relacionados

Comentários