Especialista analisa as telas dos novos iPads e se decepciona

Tela do iPad Air 2

Quando o assunto é qualidade de tela, Dr. Raymond M. Soneira (da DisplayMate) é *o cara*. Tradicionalmente, sempre que um iGadget é lançado ele analisa o componente e dá seu parecer de acordo com o que temos hoje em dia no mercado. Não foi diferente, então, com as telas dos novos iPads.

Tela do iPad Air 2

Falando especificamente do iPad Air 2, Soneira elogiou o revestimento antirreflexo dele, o qual reduz os reflexos de luz ambiente em cerca de 3:1 se comparado à maioria dos tablets e smartphones do mercado (incluindo iPads anteriores), e cerca de 2:1 se comparado com os *melhores* tablets e smartphones concorrentes (incluindo o iPhone 6, por exemplo).

Só que, tirando isso, a tela totalmente laminada (que boa parte da concorrência já oferece) e o revestimento resistente a impressões digitais/oleosidade, a tela é exatamente a mesma do iPad de quarta geração.

Na verdade, por conta da obsessão da Apple em fazer iPads cada vez mais finos, o desempenho dessa tela chega a ser menor que o da do iPad Air, oferecendo 8% menos brilho e uma eficiência energética 16% menor. Na opinião de Soneira, os tablets de Samsung, Amazon e Microsoft oferecem precisão de cores, ângulos de visão e eficiência energética melhores — para ele, o Galaxy Tab S ainda é o tablet com a melhor tela disponível no mercado.

iPad mini 3

Já sobre o iPad mini 3, não há muito o que falar. A tela é *exatamente* a mesma do mini 2, a qual já foi mal avaliada por conta da gama/precisão das cores. Ou seja, se no ano passado a concorrência já oferecia telas melhores que a do iPad mini 2, imagine agora, em 2014!

Definitivamente a prioridade da Apple nessas atualizações não foi o display. Caso queira ler todas as informações sobre a avaliação de Soneira sobre as telas (incluindo gráficos), não deixe de dar uma passada no site da DisplayMate.

[via MacRumors]

Posts relacionados

Comentários