Muitas novas informações surgiram com a liberação do kit de desenvolvimento do Apple Watch

Linha de Apple Watches voando

O Apple Watch foi apresentado para nós em setembro, porém só chegará ao mercado em algum momento de 2015 (primeiro semestre). Até pela distância do lançamento, dá para ver que ele ainda é um produto em desenvolvimento. E por conta dessas incertezas, é mais do que coerente que a Maçã deixe para falar muita coisa apenas no evento de lançamento mesmo.

Linha de Apple Watches voando

Ontem, porém, com a liberação do kit de desenvolvimento de software do relógio, algumas novidades apareceram. Confira a lista que compilamos abaixo:

  • Pela primeira vez temos a resolução das telas do Watch: 340×272 pixels (para menor, de 38mm) e 390×312 pixels (para o maior, de 42mm); a Apple descreve ambas como Retina e pede para que desenvolvedores utilizem gráficos @2x.

Fonte San Francisco, do Apple Watch

  • A fonte utilizada no Watch é a San Francisco. Na verdade são duas: a Text (até o tamanho 19pt) e a Display (a partir do tamanho 20pt); obviamente elas têm particularidades que se adequam melhor à interface do relógio de acordo com o tamanho (Dynamic Type); você pode baixá-la aqui.

WatchKit

  • Neste começo, praticamente tudo do WatchKit é processado no próprio iPhone, tornando o relógio quase que um display remoto, uma extensão ativa do smartphone. Muito provavelmente isso será bom para a eficiência energética do Watch, porém bastante limitador quando você estiver sem o iPhone por perto; outra coisa que pesa aqui é a longevidade do relógio — quanto mais ele se apoiar no iPhone para realizar tarefas, mais vida terá. Em algum momento de 2015, apps nativos — que deverão rodar 100% no relógio — poderão ser criados.
  • Aparentemente o WatchKit não dá acesso ao sensor de monitoramento cardíaco.
  • Aplicativos para o Apple Watch serão baixados através de iGadgets ou Macs/PC — não existirá uma loja de apps no relógio.
  • Mapas embutidos em apps de terceiros na verdade são estáticos (quase que uma imagem), e não interativos. Ao tocar no mapa o usuário é levado ao app Mapas, da Apple.
  • O relógio não suporta gestos com dois ou mais dedos — embora os desenvolvedores possam adicionar gestos utilizados em seus apps.
  • Deixando os aspectos técnicos de lado, a Apple sugere que todo o conteúdo criado para o relógio seja “leve” já que o dispositivo foi projetado para interações simples que são acessíveis e destituíveis de forma rápida e fácil — tanto para privacidade quanto para usabilidade. Os apps devem respeitar o contexto em que o usuário os acessa (brevemente, com frequência e numa tela pequena).

Interessados no WatchKit podem dar uma olhada no vídeo (de aproximadamente 30 minutos) que a própria Apple disponibilizou nesta página.

[via MacRumors, Daring Fireball, MacStories, iDownloadBlog]

Posts relacionados

Comentários