David Fincher e Walter Isaacson adoraram o roteiro do filme de Steve Jobs

Steve Jobs bem jovem, por Norman Seeff

Os vazamentos da Sony Pictures continuam com tudo. Recentemente comentamos que, por conta das informações vazadas, soubemos que Aaron Sorkin (roteirista do filme sobre Steve Jobs) cogitou entregar o papel principal a Tom Cruise — mas acabou aceitando a escolha de Danny Boyle (diretor do filme, que optou por Michael Fassbender).

Pois hoje mais informações surgiram.

Steve Jobs bem jovem, por Norman Seeff

Bem lá no começo, David Fincher estava negociando para ser o diretor do filme. Nessa época, trocas de emails entre ele, os produtores e Sorkin deviam ser bem rotineiras, tanto que um desses se tornou público por conta dos vazamentos.


A partir daqui o texto contém pequenos spoilers. Continue se quiser.


E veja a empolgação de Fincher com o roteiro (traduzido livremente por nós):

É ótimo. É uma peça, mas uma bem viva, cinemática.
Acho que você deve elencar e ensaiar bem cuidadosamente (uns dois meses)
Deve ser bem rapidamente (4 ou 5 semanas — 8 dias por ATO??)
Os locais devem ser fáceis (nós provavelmente acharemos todos por aqui mesmo)
Deveremos levar um tempo é na edição.
Será que a SONY consegue vender uma APRESENTAÇÃO DE UM SÓ HOMEM(?)
Vocês conseguem fazer um LENNY disso, algo IMPERDÍVEL?”

“LENNY”, no caso, é o filme de 1974, dirigido por Bob Fosse e estrelado por Dustin Hoffman — que concorreu a vários Oscars.

Steve Jobs bem jovem, por Norman Seeff

Outro que gostou bastante do que viu foi Walter Isaacson, autor da biografia autorizada de Jobs — a qual serviu de referência para o filme, que é baseado nela. Após ler o roteiro, Isaacson falou:

Este roteiro é totalmente incrível. Acabei de ler tudo e tenho lágrimas nos meus olhos. Eu estava profundamente comovido com o arco narrativo e com o belo final. Amei a linha “De jeito nenhum ela não é minha filha” [no que parece ser uma referência à Lisa Brennan-Jobs].

Esses emails também deram uma bela pista de como será o filme. Já sabemos, por exemplo, que se tratam de três atos. Pois num email de março, Sorkin escreveu que o filme precisaria de apenas quatro locações: dois auditórios, um restaurante e uma garagem. Num outro email do mês passado, o roteirista fez referências ao Symphony Hall de San Francisco, local onde Jobs fez o primeiro evento da NeXT Computer.

E agora, com isso tudo, minhas expectativas para o filme subiram ainda mais — o que não é nada bom. 😛

[via The Verge]

Posts relacionados

Comentários