Apple Watch faz empresa buscar especialistas de varejo do mercado fashion/de luxo

Apple Watch branco, de frente e de lado

Computadores, MP3 players, smartphones, tablets e, agora, relógios. Pode parecer que não, mas estamos falando de um produto completamente diferente do que estamos acostumados a ver saindo dos laboratórios de Cupertino.

Alguém aí já parou para pensar o quanto o Apple Watch impactará as lojas físicas da Maçã? Atualmente, quando a gente entra numa Apple Retail Store, vemos mesas de madeiras milimetricamente organizadas com Macs, iPads, iPhones e iPods para que o público use/teste à vontade. Com o relógio, porém, algo precisa mudar.

Apple Watch branco, de frente e de lado

Estamos falando de um produto vestível, ou seja, antes de adquirir um desses muito provavelmente vamos querer colocá-lo no pulso para ver qual tamanho ficará melhor, se uma determinada pulseira que você gostou vai ou não incomodar, qual modelo/cor cairá melhor no seu pulso, entre outros detalhes. Vocês não acham, por exemplo, que muitas pessoas vão querer colocar um Watch no pulso e se olhar no espelho para ver como fica?

Esses cenários descritos acima não condizem muito bem com o que encontramos em Apple Retail Stores atualmente. Muito provavelmente por isso a Maçã está indo ao mercado em busca de pessoas com experiência no mercado fashion/de luxo para trabalhar em suas lojas.

Angela Ahrendts, vice-presidente sênior de varejo da Apple

Não podemos esquecer que a vice-presidente das lojas da Maçã é Angela Ahrendts, ex-CEO da Burberry e, sem dúvida nenhuma, uma executiva com conhecimento e contatos de sobra nessa área.

Numa nota relacionada, a Apple recontratou recentemente Dana Massie, especialista em áudio digital que estava há pouco mais de nove anos na Audience, mas que já trabalhou na Apple entre 2002 e 2004 como gerente de áudio para hardwares. Massie voltou para a Maçã como arquiteto de áudio de SoC (system-on-a-chip, ou sistema-em-um-chip).

[via 9to5Mac, MacRumors]

Posts relacionados

Comentários