CES 2015: o resumo de uma festa estranha com gente esquisita…

CES 2015 - Samsung

A CES 2015 é um monstro. Ela engole e — desculpem o trocadilho — consome inteiramente suas forças durante quatro dias. Este ano, eu sozinho caminhei o equivalente a duas maratonas indo até o local do evento, andando pelos pavilhões e correndo atrás de reuniões com distribuidores e fabricantes de acessórios em hotéis que, mesmo distantes poucos quarteirões, significam até horas a pé. Sem contar as mais de 170.000 pessoas passeando pelos salões com 3.600 expositores para ver. São números gigantescos em uma feira que também promete ter de tudo um pouco.

CES 2015 - Samsung

Quem acompanha as notícias da feira já sabe que chegaram novas televisões curvas com 100 polegadas ou mais, utilizando a tecnologia 4K (que eles preferem chamar de “Ultra HD”), novos modelos de smartphones e tablets, USB reversível, relógios e outros dispositivos inteligentes, além de muitos acessórios para todos os tipos de aparelhos que estejam sendo comercializados hoje. Tudo muito bonito… mas qual o impacto disso em nossas vidas? Alguns desses produtos só deverão ser lançados efetivamente no final do ano e outros podem nunca ver a luz do dia.

A CES deste ano foi muito mais um evento de tendências do que de produtos. Por exemplo, a “internet das coisas” está crescendo, com marcas como LG e Samsung promovendo aparelhos domésticos conectados — além do Nest, criado por Tony Fadell (pai do iPod) e comprado pelo Google. A casa inteligente está ganhando novas fundações e pode se tornar uma realidade no futuro próximo, mas ainda não conseguimos ver uma ideia pronta e acabada de como as coisas que terão acesso à internet irão nos ajudar.

CES 2015 - Fitness

Outro tópico marcante na feira foram os wearables e aparelhos para saúde/fitness. O furor foi tanto que havia um pavilhão separado apenas para eles, no Sands Expo (apenas algumas quadras de distância do LVCC — isso quer dizer que era preciso ir de ônibus até lá). Fitbits, Misfit, Withings, entre outras estavam lá mostrando novos produtos, como o novo Activité Pop e o Flash.

CES 2015 - Fitness

E isso é só o começo. Muita gente quer se adiantar ao Apple Watch para tentar evitar que a Apple domine esse mercado como já fez antes com os smartphones e tablets. Mas é consenso geral entre os fabricantes que não dá para saber ainda o impacto que o smartwatch da Maçã trará este ano.

CES 2015 - Parrot

Gosta de drones? A CES 2015 tinha um monte deles, todos em seus estandes fechados por telas para evitar que eles voassem sem rumo e que causassem um alvoroço a cada 20 ou 30 minutos, tempo de espera entre uma apresentação e outra. Os da Parrot, no pavilhão vermelho, causavam emoção em quem se acotovelava nos corredores para ver os pequenos aparelhos dançando ao som de “Aprendiz de Feiticeiro” ou outras músicas. A DJI, fabricante do Phantom, também aproveitou para mostrar o Inspire, seu novo quadricóptero com uma câmera 4K acoplada.

E os fãs da Apple, o que podem aproveitar da CES 2015? Mesmo não tendo um estande no evento (assim como Microsoft, Google e Amazon, por exemplo), ela é uma iminência parda em todos os pavilhões e em muitos estandes. Mesmo entre os participantes, aumentou o número de pessoas usando iPhones (no ano passado, aparelhos Android dominaram as ruas de Las Vegas). O principal anúncio que interessou a quem usa Mac foi a chegada dos novos processadores Intel que devem estar na próxima leva de MacBooks e iMacs.

Fora isso, o pavilhão específico para os produtos Apple, o iLounge Pavillion, me pareceu um pouco menor que em anos anteriores. Talvez o fato de algumas marcas que trabalham mais na área de saúde e fitness para dispositivos iOS terem ido para um local próprio (e afastado) tenha gerado essa diminuição.

CES 2015 - Yfang

CES 2015 - Case

Algumas marcas muito conhecidas dos usuários, como olloclip, Twelve South, Beewi e Incipio trouxeram novos produtos, como as lâmpadas inteligentes da Beewi e as capas de bateria para iPhone 6 da Incipio. A mophie também apresentou sua linha para os novos iPhones, mas era em um estande fechado para o público — apenas pessoas convidadas podiam entrar, e eu infelizmente não fui uma delas.

No final das contas, a CES é um grande barato. É um local para rever amigos, falar sobre tecnologia e descobrir novos produtos. Mas cansa demais… 😛

Gostaria de agradecer aos meus patrocinadores, a Alfacomex, a Mobimax e a Belmar Import por terem me ajudado a participar mais uma vez deste evento. E agora é esperar pela CES 2016!

Posts relacionados

Comentários