Chegou a hora de a Apple nos deixar apagar/esconder aplicativos nativos do iOS

Apps incluídos no iPhone

Apagar ou esconder aplicativos nativos do iOS que não utilizamos sempre foi um desejo de muitos usuários. A Apple nunca deu muita bola para isso. Mas ontem, com a liberação do iOS 8.2, ficou ainda mais claro que a empresa precisa rever essa decisão.

Apps incluídos no iPhone

Atualmente o iPhone conta com 28 aplicativos que não podem ser apagados do aparelho Alguns realmente são imprescindíveis para o sistema, mas outros estão em aparelhos de usuários simplesmente porque não podem ser apagados — muitas vezes ocupando um espaço precioso em iPhones de 8GB ou 16GB, por exemplo. Eu sinceramente não me recordo a última vez que abri alguns apps como Dicas, Game Center e iBooks (para citar alguns).

Apps nativos do iOS no iPhone

Agora, ao instalar o iOS 8.2, fomos presenteados com um aplicativo do Apple Watch. Para quem pretende comprar e usar o relógio, ótimo. Mas e as pessoas que não gostaram do Watch ou simplesmente não estão dispostas a comprar o produto? Terão que conviver eternamente com esse app específico para o relógio?

Para a Apple, uma experiência completa e satisfatória com o iPhone muito provavelmente passa pela utilização de todos esses apps. E eu entendo isso. Agora, o que eu não entendo é forçar o usuário a permanecer com tudo isso instalado mesmo a contra-gosto. Eu enxergo duas possíveis soluções para isso, ambas totalmente viáveis para a Apple.

Apagar aplicativos nativos

Esta é, sem dúvida, a opção mais radical. E eu vejo isso acontecendo de duas formas.

A primeira delas é o usuário podendo apagar o aplicativo nativo como outro qualquer, baixado pela App Store. E se a pessoa quiser instalar novamente o app apagado? Simples, a loja de aplicativos da Apple teria um grande destaque para os apps criados por ela mesmo — lá, é claro, estariam todos eles, inclusive os “nativos”. Ou seja, os aplicativos instalados nativamente em um iPhone seriam apenas uma recomendação da Apple, com o usuário tendo total controle sobre eles.

Enquanto a primeira opção mescla a ideia de aplicativos nativos com os disponíveis na App Store, a segunda os separa bem. Nela, usuários também poderiam apagar os apps nativos do aparelho, mas a reinstalação deles aconteceria de forma diferente. Em vez de entrar na App Store e baixá-los, existiria uma opção “Reinstalar Apps Nativos” em “Ajustes” (o download dos aplicativos seria feito diretamente dos servidores da Apple, sem passar pela App Store e, consequentemente, não misturando as coisas).

Esconder aplicativos nativos

Já esta opção é mais um paliativo do que uma solução em si, por um simples motivo: ao esconder um app, toda a bagagem dele (megabytes ocupados, cache, dados, etc.) continua armazenada no iPhone, ocupando o precioso espaço de quem tem um iPhone de menor capacidade.

Ainda assim, seria bastante útil poder esconder os aplicativos nativos que não usamos nunca, deixando a nossa Tela Início mais limpa e organizada. Esconder os apps seria algo bem fácil: bastaria ter uma opção “Apps Nativos” em algum lugar dentro de “Ajustes”, nos dando a possibilidade de ativar/esconder os tais apps — mais ou menos como já acontece hoje na Apple TV.

·   ·   ·

Não há dúvidas que o iOS é um ótimo sistema operacional. Olhando para trás, é incrível ver como ele evoluiu tanto de 2007 para cá. Todavia, existe muita coisa que pode melhorar — como a possibilidade de definir aplicativos de terceiros como padrões, testar aplicativos pagos por alguns dias antes de bater o martelo, múltiplos usuários para iPads, entre outras —, mas diria que essa relação com aplicativos nativos é uma das mais fáceis de serem resolvidas.

Posts relacionados

Comentários