Apple teria sido a responsável pela criação do novo e versátil padrão USB-C [atualizado]

Esta foi a semana do USB-C. Além de fazermos alguns posts sobre a nova — e única — porta presente no novo MacBook, discutimos bastante o assunto no episódio #122 do MacMagazine no Ar.

MacBook com cabo USB-C

Convenhamos, essa belezura de tecnologia é tão compacta e versátil que acabou até mesmo jogando para escanteio o tradicional MagSafe (tecnologia proprietária da Apple). Não é nada comum ver a Apple trocando algo próprio por um padrão da indústria, não é mesmo? Pois o blogueiro John Gruber, que tem contatos dentro da Maçã, afirmou em seu podcast (The Talk Show; episódio #91) que o USB-C é uma invenção da Apple, conforme notou o The Tech Block.

Eu ouvi — não posso dizer quem foi, mas vamos chamá-los de “pequenos passarinhos informados” — que o USB-C é uma invenção que a Apple deu para os órgãos de padronização. E que a política para isso é que eles realmente não podem dizer isso. Eles não vão sair em público e dizer isso, mas eles fizeram. É uma invenção da Apple e eles querem que ela se torne um padrão.

A verdade é que Gruber tem bastante credibilidade e não teria nenhum motivo para afirmar uma coisa dessas se realmente não tivesse convicção do que está falando.

Isso não quer dizer, porém, que a Apple vai promover o USB-C como substituto de tudo e de todas as tecnologias. No novo MacBook ele fez bastante sentido levando em conta o conceito da máquina (portabilidade, conectividade sem fio, etc.). É claro que podemos esperar a chegada do USB-C em outros Macs, mas essa história de que a Apple é a criadora da tecnologia não necessariamente representa o fim do MagSafe nem do Lightning, que tem tudo para continuar equipando iPads, iPhones e iPods — ao menos essa é a minha aposta, levando em consideração que o Lightning ainda é menor que o USB-C e dá à Apple mais controle sobre acessórios de terceiros para seus aparelhos móveis.

Talvez muitos de vocês não devam ter visto, mas na quarta-feira passada (11/3) o Google lançou o novo Chromebook, que conta com duas portas USB-C.

MacBook e Chromebook com USB-C apresentados numa mesma semana? Muita coincidência, não acham? O próprio Gruber disse que deve ter havido algum tipo de embargo, permitindo que a Apple anunciasse o novo MacBook como o primeiro laptop equipado com uma porta USB-C. E se a Apple estiver mesmo envolvida na criação do padrão, isso faz bastante sentido.

Para finalizar, olhem a descrição que a Apple deu ao USB-C na página do novo MacBook [destaque nosso]:

Para criar um notebook tão fino e leve como o novo MacBook, buscamos a eficiência em cada detalhe, começando pela forma que ele se conecta aos periféricos e a energia. Por isso ajudamos a criar um novo padrão de conectividade universal, que combina as funções essenciais que você usa todos os dias em apenas uma entrada. A porta USB-C permite carregar seu MacBook, transferir dados rapidamente com USB 3, conectar com dispositivos externos e periféricos, além de servir como saída de vídeo compatível com conexões HDMI, VGA e Mini DisplayPort. Tudo em um design compacto e reversível, com apenas um terço do tamanho da porta USB atual.

Ajudaram? Sei… 😛

[via MacRumors]

Atualização · 15/03/2015 às 21:40

Em um novo post (respondendo a um artigo escrito pelo 9to5Mac o qual fala que a Apple seria apenas mais uma a participar da construção do novo padrão), Gruber afirmou que seu comentário foi um pouco exagerado. Ele disse que não quis passar a impressão de que a Apple trabalhou sozinha — é inegável a participação de outras empresas como Intel, Texas Instruments e, é claro, o USB Working Group — mas que a Maçã foi, sim, a líder do projeto.

Gruber cita que há bastante politicagem envolvida e que uma grande razão para que a Apple não leve tanto crédito pela criação do USB-C é que a empresa realmente quer vê-lo se tornando um padrão rapidamente — a percepção seria de que uma tecnologia criada Apple (e não por um conjunto de empresas) poderia retardar essa adoção em massa.

Além disso, ele cita as características do USB-C (reversível, fino, oferecer energia, transferência de dados de alta velocidade, de vídeo, etc.) como algo muito “Apple-like”, permitindo uma redução significativa nos portas de um computador portátil. Cada aspecto do USB-C se encaixa muito bem em possíveis metas de design de uma tecnologia dessas criada pela Apple, e não podemos dizer isso sobre as versões anteriores do USB.

Que faz sentido, faz. Agora é descobrir se Gruber está mesmo certo — algo me diz que uma hora ou outra alguém vai realmente confirmar/negar essa história.

Posts relacionados

Comentários