Diretamente da Austrália: as nossas primeiras impressões e fotos do Apple Watch [atualizado]

Depois de alguns meses esperando ansiosamente pelo lançamento do produto da Apple mais importante desde o iPad, finalmente chegou a hora de testar um Apple Watch.

Design não é um fator que pesaria tanto em minha decisão, mas o fato é que o relógio é realmente sensacional. Ele é ainda mais bonito quando visto pessoalmente.

As Apple Retail Stores — como a que visitei aqui na Austrália — não estão deixando a desejar, demonstrando o Watch em dois tipos de mesas. O primeiro contém apenas um mostruário de vidro com os relógios dentro, onde suas telas ficam exibindo uma demonstração das funcionalidades.

Apple Watch na Austrália

Já o segundo tipo é mais interessante: você pode testar o Watch com as suas próprias mãos. Ao lado de cada relógio há uma tela (sensível ao toque) com todas as informações sobre ele. Não dá pra ter certeza, mas pelo tamanho eu apostaria que se trata de um iPad mini.

Apple Watch na Austrália

Claro que a Apple pensou em algo bastante simples para testes de pulseiras. E a solução foi bacana: embaixo das mesas, existem gavetas com uma grande variedade de pulseiras.

Apple Watch na Austrália

Mesmo utilizando diariamente o iOS há anos, inicialmente eu tive algumas dificuldades pra navegar pelas telas e encontrar o que eu queria, devido a algumas diferenças entre os sistemas. Mas fica mais fácil depois de poucos minutos de uso.

Como já dava pra imaginar, a Coroa Digital tem uma precisão muito boa e é bem simples de usar. No entanto — depois de anos utilizando touchscreens — eu frequentemente esquecia dela, rolando a tela e navegando entre as opções usando meus dedos.

O Force Touch também é muito bacana e útil. Eu já tinha testado a tecnologia no trackpad do recém-lançado MacBook Pro Retina de 13″, mas onde eu realmente desejo vê-lo chegando seria aos iPhones.

Embora seja considerado uma extensão do iPhone, isso não faz do Apple Watch menos legal. Definitivamente acredito que ele mudará o modo como fazemos várias coisas atualmente. Uma desvantagem é fácil de ser apontada: o preço. Mesmo no exterior, o produto custa bem mais que seus concorrentes.

Apesar de toda minha empolgação, minha decisão foi de não comprar um agora. Diferentemente de quando vi o iPhone pela primeira vez, não vejo a mesma necessidade e vantagens que eu via no smartphone, na época. Mas dependendo de como os apps evoluírem, vou acabar querendo um mais cedo ou mais tarde! 😉

Atualização · 11/04/2015 às 09:40

Gravei um vídeo com basicamente as mesmas informações acima, para quem preferir:

Posts relacionados

Comentários