A partir de hoje, médicos e pesquisadores já podem criar seus apps utilizando o ResearchKit

A Apple anunciou hoje que o ResearchKit1 está agora disponível tanto para desenvolvedores quanto para pesquisadores.

Logo após o anúncio do ResearchKit, no evento especial da Apple que aconteceu em março passado, acompanhamos a chegada dos cinco primeiros apps que fazem uso do novo framework: doença de Parkinson, diabetes, doenças cardiovasculares, asma e câncer de mama. Mais de 60.000 usuários de iPhones baixaram os apps e participaram das pesquisas nas primeiras semanas!

Pois a partir de hoje, pesquisadores e médicos em todo o mundo podem usar o ResearchKit para desenvolver seus próprios aplicativos. Para completar, desenvolvedores também podem contribuir com novos módulos de pesquisa para o framework de código aberto.

ResearchKit

Estamos muito felizes e encorajados pela resposta da comunidade médica, de pesquisadores e de participantes que contribuíram ao ResearchKit. Estudos que historicamente atraíram algumas centenas de participantes estão atraindo agora participantes na casa das dezenas de milhares de pessoas. Os pesquisadores médicos de todo o mundo estão explorando ativamente como o ResearchKit pode ajudá-los a estudar ainda mais doenças, e acreditamos que o impacto na compreensão global da saúde e bem-estar será profundo.

Jeff Williams, vice-presidente sênior de operações da Apple.

O ResearchKit basicamente transforma iPhones em uma poderosa ferramenta para pesquisa médica. Quando concedida a permissão por parte do participante, apps com o ResearchKit podem acessar dados de sensores avançados como acelerômetro, giroscópio, microfone e GPS para obter informações sobre os níveis de atividade de um participante, deficiências motoras, de memória e muito mais.

O framework funciona perfeitamente com o HealthKit, uma plataforma de software que a Apple introduziu com iOS 8 para fornecer aos desenvolvedores capacidades de saúde e fitness para aplicativos, fazendo com que eles se comuniquem. Com a permissão do participante, apps com o ResearchKit podem utilizar os dados do app Saúde (Health) como peso, pressão arterial, glicemia e uso inalador para a asma, que são medidos por meio de dispositivos de terceiros e apps.

Apple e IBM

Em uma nota relacionada, a IBM anunciou uma parceria com a Apple na qual, por meio de um serviço chamado Watson Health, usará os dados coletados pelo HealthKit e pelo ResearchKit para fornecer informações a várias outras empresas, incluindo a Johnson & Johnson e a Medtronic. A ideia é que essas empresas possam integrar esses dados em serviços que oferecem às empresas de saúde. A Forbes cobriu bem assunto e, se você ficou interessado, vale a pena passar lá para ler mais sobre.

Como sempre isso pode ser algo muito positivo, mas também negativo. Cabe ao usuário se atentar bem ao que está oferecendo de informação para a Apple (HealthKit e ResearchKit), assim como a Maçã também tem que controlar isso muito bem, certificando-se de que tais informações estão mesmo sendo utilizadas para os devidos fins.

Posts relacionados

Comentários