Apple explica tudo sobre o monitoramento de frequência cardíaca do Apple Watch

Os recursos de saúde/fitness do Apple Watch são, sem dúvida, um dos grandes atrativos da primeira geração do relógio. Não é à toa que a Apple dedicou boa parte das duas apresentações públicas que realizou do produto a eles. Pois agora, em um artigo de suporte1, a Apple explicou exatamente como o monitoramento cardíaco funciona.

Publicidade

Sensor do Apple Watch

A frequência cardíaca média é de 72 batimentos por minuto (BPM). Enquanto se exercita, os músculos precisam de mais oxigênio e seu coração bate mais rápido para entregá-lo. Durante os treinos, o sensor de frequência cardíaca do Apple Watch mede a frequência cardíaca e apresenta tudo em seu pulso. Você também pode verificar a sua frequência cardíaca a qualquer momento usando [o recurso] Frequência Cardíaca, no “Resumos”. E durante todo o dia, o Apple Watch mede a frequência cardíaca a cada 10 minutos e armazena no app de Saúde. Toda essa informação, bem como outros dados que recolhe, ajuda o Apple Watch a estimar quantas calorias você queimou. E, verificando a sua frequência cardíaca durante o exercício, você pode ver como o seu nível de intensidade e sua frequência cardíaca mudam ao longo do tempo.

Sensor do Apple Watch

Mas como é que o relógio mede isso tudo? Funciona assim: o sensor de frequência cardíaca usa o que é conhecido como fotopletismografia. Essa tecnologia tem como base algo simples. O sangue é vermelho pois ele reflete a luz vermelha e absorve verde. Assim, o Watch usa luzes LED verdes emparelhadas com fotodiodos sensíveis à luz para detectar a quantidade de sangue que flui através de seu pulso em um dado momento.

Publicidade

Quando o nosso coração bate, o fluxo de sangue no pulso — e a absorção de luz verde — é maior. Entre as batidas, é menor. Assim, ao piscar as luzes de LED centenas de vezes por segundo, o relógio pode calcular o número de vezes que o coração bate por minuto (ou seja, a nossa frequência cardíaca).

Isso deve, sim, impactar a bateria do relógio. Por esse motivo, o sensor de frequência cardíaca também pode usar a luz infravermelha para conseguir o mesmo objetivo. É assim que o Watch mede a nossa frequência cardíaca a cada 10 minutos. No entanto, se o sistema infravermelho não fornecer uma leitura adequada, o relógio muda automaticamente para o sistema de LEDs verdes. Além disso, o sensor de frequência cardíaca foi projetado para compensar os baixos níveis de sinais, aumentando tanto o brilho LED quanto a taxa de amostragem.

A Apple deixa claro, porém, que essa medição pode não ser exata todas as vezes, para todas as pessoas. Muita coisa pode influenciar no resultado, incluindo uma pulseira muito frouxa/apertada, perfusões, movimentos irregulares2 Nesses casos, a Apple recomenda emparelhar o Watch (via Bluetooth) a um medidor cardíaco externo.

Publicidade

No mais, a Apple deixa claro ainda que a frequência cardíaca é apenas um dos muitos fatores que o relógio usa para medir a nossa atividade e exercício. Dependendo do treino realizado, o Watch seleciona os dados mais adequados para tal atividade. Exemplos: se você estiver correndo em uma esteira, o acelerômetro também é utilizado; ao pedalar na rua, ele usa o GPS do iPhone. E mesmo quando você não está em uma atividade/exercício dedicado, o Watch controla o quanto você se move a cada dia.

Ainda que tudo possa não sair como o planejado, é muito interessante saber como as coisas funcionam.

[via 9to5Mac]

Publicidade

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…