Depois de muita polêmica, Apple fecha acordos com gravadoras independentes para seu serviço de streaming

De acordo com a Billboard, a Apple conseguiu fechar acordos com a Merlin (que representa cerca de 20.000 selos e distribuidores em mais de 40 países) e o Beggars Group (que engloba as gravadoras independentes 4AD, XL, Matador e Rough Trade, além de também ter vínculos com a carreira de músicos/bandas como Adele, Radiohead, Arcade Fire e The xx, por exemplo).

Eis um trecho do comunicado que Charles Caldas, CEO da Merlin, enviou para os membros da organização:

Eu tenho o prazer de informar que a Apple tomou a decisão de pagar por todas as reproduções individuais no Apple Music durante o período de testes, bem como modificou uma série de outros termos os quais membros estavam negociando diretamente com ela. Com estas mudanças, estamos felizes em apoiar o negócio.

O Beggars Group, inclusive, já confirmou o acordo com a Apple para o The Next Web.

E assim, depois de uma reviravolta na qual o estopim foi uma carta aberta da cantora Taylor Swift endereçada à Apple, tudo vai caminhando para um lançamento bastante completo no dia 30 de junho, quando o iOS 8.4 será liberado para todos e usuários poderão começar a testar o Apple Music.

Numa nota relacionada — também divulgado pelo TNW, o cantor Pharrell Williams publicou o seguinte vídeo em sua página do Facebook:

Freedom. June 30th Apple Music

Posted by Pharrell Williams on Terça, 23 de junho de 2015

A música “Freedom”, utilizada inclusive no comercial do Apple Music, ainda não foi lançada. E, ao menos por esse vídeo, tudo indica que esse lançamento será exclusivo no serviço de streaming da Apple.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários